A consistência de Marc Márquez este ano no MotoGP.

Marc Márquez foi mais cauteloso na entrevista em Le Mans sobre o ritmo que tem. Quando lhe disseram que ele liderou todas as voltas das últimas três corridas (pelo menos enquanto ele estava em pé, no caso de Austin), o atual campeão mundial disse que precisava mudar suas táticas para manter seus rivais desequilibrados. “É verdade que desde a Argentina eu liderei muitas voltas”, disse Márquez à mídia. “Eu não estava acostumado a competir assim, mas às vezes você precisa encontrar diferentes estratégias para os adversários. Caso contrário, todo mundo espera o mesmo. Quando eu tenho a moto e o sentimento, e quando me sinto forte o suficiente, por que não tentar? Isso significa que se eu tiver a mesma sensação, por que não repetir isso aqui? Mas depois do aquecimento você já entende se é possível ou não fazer isso.”

Saber se ele pode escapar na frente ou não significa que ele poderia manter essa carta em particular na manga, explicou Márquez. “É positivo porque então os seus oponentes não saberão o que você vai fazer. Você pode entender o tipo de estratégia de Maverick, de Dovi, de Rossi. Mas quando alguém está fazendo algo novo e em algumas corridas começa empurrando desde o começo; em outras começa a poupar o pneu, você não sabe se ele vai “enrolar” ou empurrar. Mas não será possível repetir essa estratégia em todas as corridas.”

Márquez fez três ou quatro “saves” nesta sexta-feira, dependendo de como você os contará. De manhã, ele teve um grande momento na Garage Vert, uma daquelas salvadas que são realmente um acidente, onde ele conseguiu segurar por tempo suficiente a moto para que as rodas tivessem grip novamente. Para isso acontecer Marc teve que colocar seu joelho e cotovelo no asfalto, mantendo a moto no chão o tempo suficiente para que os pneus  pudessem novamente recuperar o grip, permitindo que ele partisse com a moto erguida.

À tarde, Márquez tentou fazer o pneu traseiro funcionar, mas teve que ter cautela com ele. O pneu precisava de calor suficiente para fornecer aderência, mas a única maneira de obter calor no pneu era rodar agressivamente. Márquez se viu em uma situação de Catch-22 (você não tem outra escolha a não ser fazer o que tem que ser feito) e fez um save ou três com seus reflexos. “Eu estava usando o pneu traseiro duro”, disse o espanhol. “Foi bom, mas se você não estiver na temperatura correta nessas duas ou três primeiras voltas – quando é muito difícil obter a temperatura ideal do pneu – sem correr riscos, é muito difícil fazer isso. Estava tentando ser agressivo e então isso criou alguns slides que eu não esperava, mas eu estava tentando encontrar o limite”.

O problema para a Honda é que apenas Marc Márquez pode salvar incidentes como estes. A moto escapou de Cal Crutchlow e de Jorge Lorenzo muito rapidamente, e os dois caíram nesta sexta-feira. “Foi um acidente padrão da Honda”, disse Crutchlow. “É como um disco quebrado, perdemos a frente, é isso. Não me entenda mal, já que não fui o único cara a cair naquela sessão como você viu, mas a sensação da frente para mim é um caminho mais crítico do que no ano passado.”

A falta de sentimento do front-end é apenas parte do problema. A outra parte é que o motor 2019 é mais agressivo, e isso se traduz em problemas nas frenagens. “Acho que temos uma diferença na moto do ano passado”, disse Crutchlow. “Então o sentimento da frente não é como a que eu tive no ano passado, ou o que eu ou Marc tivemos no ano passado. Muito disso vem do freio do motor. A moto está muito instável na entrada da curva. São duas coisas separadas, mas o problema é que se você tem boa entrada de curva com o freio do motor, a moto não balança, então você pode ficar bem. Eu caí por causa de uma ondulação na pista e porque estava indo rápido, isso é tudo”.

O que isso significa para a corrida? Fazendo uma hipótese, esta é uma corrida seca, e isso significa que Marc Márquez terá que proceder com cautela. Ele poderá querer tentar escapar desde o início, mas se for muito rápido, arriscará ter um problema semelhante ao de Austin e a possibilidade de ficar fora da corrida. É claro que, como é esperado, o clima fornecer uma pista meio seca e meio molhada com aderência imprevisível, o resto dos pilotos no grid vão comer a poeira de Márquez.