Brad Binder deixa Jerez como o mais rápido. Amanhã começa os treinos de MotoGP no Catar e o WorldSBK

Imagem I – Último dia de testes em Jerez, realizado pela Moto 2 e 3.

Brad Binder definiu um novo marcador para a classe Moto2, quebrando o recorde de Lorenzo Baldassarri de 2018 na mesma pista por um segundo, baixando-o para 1’40.982s. Para se ter uma ideia da potência do motor Triumph, isso é um décimo de segundo mais lento do que o tempo de Valentino Rossi na pole de 2004 no circuito espanhol, estabelecido com uma Yamaha M1 de 990cc e pneus especiais Michelin. Um desempenho sugestivo de que todos os recordes da categoria podem cair este ano.

Importante lembrar que a pista foi parcialmente (re)pavimentada, mas a performance de Binder revela o alto potencial do motor Triumph na categoria, e que equipes e pilotos estão ainda se familiarizando com a novidade.

Imagem II – Saw Lowes, candidato ao título da moto 2 em Jerez.

Sam Lowes  ficou a sete milésimos de segundo de Binder, cimentando firmemente seu status como favorito para 2019 ao lado do sul-africano, enquanto Iker Lecuona continuou impressionando ao terminar o teste como o terceiro mais rápido. Luca Marini ficou como o quarto mais rápido com a Sky VR46 Kalex, considerando ter sido operado no ombro em novembro, e alguns milésimos mais rápido do que Lorenzo Baldassarri, seu colega de academia.

Imagem III – Nicolo Bulega, aluno da Academia VR46, e novato na moto 2.

Alex Marquez terminou em sexto, à frente de Nicolo Bulega e Jorge Navarro, enquanto Remy Gardner terminou em nono. Bulega, o rookie da Sky Racing Team, deu um grande salto na sessão de hoje, com o tempo de 1´41 281, apenas três décimos de Binder. Bulega, que vinha sofrendo fortes críticas pelo fraco desempenho na moto3, mostrou que as dificuldades experimentadas na temporada passada provavelmente ocorriam devido a sua altura. Na moto 2 esse fator não parece ser importante quanto na categoria menor.

O estreante Jorge Martin completou o top 10; um início impressionante para o atual campeão de Moto3. Enea Bastianini ficou em 17 lugar. Similar, Fabio Di Giannantonio ficou em 19 lugar, enquanto Locatelli, Corsi e Manzi ficaram acima dos 20s primeiros.

Marco Bezzechi e a equipe KYM Tech3 foram a grande decepção de Jerez. Aparentemente o jovem calouro está encontrando dificuldades em se adaptar à nova categoria com o potente motor Triumph.

Abaixo, a tabela de tempos de melhor volta até a 22 posição.

Moto 3 – Teste de Jerez

Imagem IV – Teste da Moto 3 em Jerez, no último dia.

Jaume Masia terminou o dia em Jerez como o mais rápido dos pilotos de Moto3, mas conseguiu também quebrar três dedos do pé esquerdo na tentativa. O espanhol estava bem abaixo do recorde de volta e quase sete décimos mais rápido que o resto no último dia de teste em Jerez.

Romano Fenati foi o segundo mais rápido no geral. O italiano regressou de suspensão após o incidente com Stefano Manzi em Misano. Lorenzo Dalla Porta foi o terceiro mais rápido, um pouco mais lento que Fenati, e um décimo à frente do companheiro de equipe da Snipers da Fenati, Tony Arboline. Andrea Migno foi a segunda KTM e a quinto mais rápido.

As equipes agora vão fazer as malas. Motos e equipamentos serão enviados para o Catar, para o teste final da temporada, de 1º a 3 de março, antes da primeira corrida da temporada, no dia 10 de março.

Abaixo a tabela de tempos de melhor volta até a 17 posição:

  1. # Nota I: Amanhã começa os testes da MotoGP do Catar (3 dias) com Pecco Bagnaia, Marc Márquez, Jorge Lorenzo e Dovi entre outros. Todos estão ansiosos por querer ouvir a novas impressões de Lorenzo com a Honda, e suas comparações com a Ducati e a Yamaha. Além disso, estamos também curiosos para ver se a Ducati conseguirá repetir a façanha de colocar suas motos entre as mais velozes do teste, e o quê Gigi Dal´Igna vai tirar da cartola. O Chefe da Ducati escolheu um caminho pouco trilhado, e os japoneses estão indo atrás. Recentemente a Honda apareceu com uma “Bento Box”, que no dicionário Webster quer dizer — caixa com vários compartimentos usada pelos japoneses para levar comida. É o equivalente a caixa de salada da Ducati.

# Nota II – Amanhã também começa o esperado WorldSBK 2019 (foto abaixo), na Australia, em Phillip Island. Álvaro Bautista, ex-MotoGp, será a grande atração com a sua belissíma Ducati Panigale V4R. Será que ele conseguirá derrotar Jonathan Rea? Infelizmente a ESPN Brasil não irá transmitir essa corrida. Esperamos que nas próximas competições algum acordo possa surgir com outro canal. Contudo, nada impede que os fãs da categoria busquem em canais internacionais a transmissão.