Começa a temporada 2016 de MotoGP

conferencia imprensa catar

Conferência de Imprensa Grande Prêmio do Catar

Após mais de 4 meses de espera e ansiedade novamente ouviremos o ronco dos motores no MotoGP e disputas acirradas na pista desse esporte que tanto amamos.

Na classe rainha as mudan√ßas s√£o muitas Jorge Lorenzo tem que¬†estar em¬†grande n√≠vel para defender o t√≠tulo conquistado em 2015, com Rossi a desejar¬†o d√©cimo t√≠tulo e M√°rquez sedento de vit√≥rias ap√≥s um ano para apagar da memoria. As Ducati estiveram muito bem nos testes e a Suzuki GSX-RR tem feito maravilhas nas m√£os de Maverick Vi√Īales.

Moto2 uma classe onde o piloto faz mais a diferença que as motos. O campeão Zarco se mantem na categoria e lutará pelo título com todas as forças contra um Alex Rins agora mais experiente e desejado por equipes da categoria principal deve ser um dos favoritos, Miguel Oliveira estreante na categoria deve também surpreender. Folger e Luthi podem ser presença frequentes no pódio.

Na Moto3 reina a incerteza. √Č um dos campeonatos mais competitivos do mundial e perdeu as duas maiores estrelas, Danny Kent e Miguel Oliveira. V√°rios rookies como Joan Mir ou Bulega prometem belas lutas alem dos grandes talentos¬†Jorge Navarro, Brad Binder e¬†Bastianini, por exemplo.

A temporada começa com clima tenso na conferencia de imprensa e a clara orientação da Dorna para que polêmicas geradas na temporada passada sejam esquecidas, mas papel de jornalista não é ser o anjinho no ombro dos pilotos mas sim o capetinha, então claro que as perguntas iam cutucar principalmente Marquez e Rossi.

Marc Marquez

Marc Márquez já cansado das perguntas sobre Valentino Rossi se recusa continuar a alimentar polêmica. Pelo menos foi esta a atitude do piloto espanhol na conferência de imprensa que deu o pontapé de saída para o GP do Qatar e da nova época.

Eu traí Rossi? Não sei disso. Perguntem a ele. Eu não quero alimentar mais esta questão

Dani Pedrosa

Dani Pedrosa acha que¬†pol√™micas s√£o¬†positivas para o MotoGP. O espanhol acredita que¬†o aumento do n√ļmero de espectadores¬†e a maior venda de bilhetes no ano passado foram gra√ßas a isso:

Penso que foi um grande momento para o MotoGP. Talvez n√£o como todosimaginassem¬†mas foi um grande momento. Em Val√™ncia¬†tinha¬†muita gente e at√© tiveram que¬†montar bancadas extra para¬†vender bilhetes. Por isso, foi claramente uma coisa positiva. No geral, penso que podemos dizer que houve um aumento do n√ļmero de adeptos do MotoGP e √© isso¬†que estamos √† procurar.

Valentino Rossi

Valentino concorda com Pedrosa, mas tenta descartar qualquer ideia de vingança, uma coisa é certa: os acontecimentos de Sepang deram mais visibilidade ao MotoGP.

Nas √ļltimas corridas do ano, algo de diferente aconteceu comparado com o normal. Mas isso √© passado. Estamos aqui e esperamos ter outras boas lutas. A rivalidade traz sempre algo extra ao motociclismo mas penso que nada de especial vai acontecer. Na¬†pista vai estar tudo igual. Todostentando¬†dar¬†o m√°ximo para estar na frente.

Outro momento de destaque foi quando perguntado se ele poderia imitar Senna no episodio com Prost em Suzuka em 1990.

Eu n√£o era f√£ de Ayrton, mas depois de ver essa corrida eu percebi que ele tinha duas bolas¬†bem¬†grandes, mas eu espero que tudo esteja¬†bem,¬†as rela√ß√Ķes pessoais n√£o s√£o importantes na pista, meu desejo √© que tudo¬†funcione bem.

Valentino disse também que aposta no tempo mais longo de aquecimento dos Michelin minimize um dos pontos fortes de Lorenzo, que seria a arrancada inicial, sobre renovação ele diz que somente depois de ver sua competitividade irá falar sobre o assunto mas que se sente bem fisicamente para continuar por mais tempo.

Jorge Lorenzo

Lorenzo tenta reduzir um pouco a press√£o de seu favoritismo:

A eletr√īnica mudou e todos t√™m a mesma, com esta mudan√ßa, haver√° uma igualdade de oportunidades.¬†No ano passado eu tive um mal¬†come√ßo no Qatar, agora eu quero come√ßar de forma diferente. √Č um novo desafio para todos n√≥s e ser√° a temporada mais competitiva da hist√≥ria.

Andrea Iannone

Esse ano n√£o tem mais desculpas a Ducati tem que lutar de igual pra igual com as duas grandes japonesas e a press√£o vai ser grande, Iannone declarou:

Eu me sinto muito confortável, mas com as mudanças de regras, todos nós estamos mais perto: tanto as motos satélites quanto as oficiais, eu sei que posso ir bem, espero uma boa luta. Eu estou no meu quarto ano na Ducati, tendo trabalhado bem por tanto tempo, é hora de trazer para casa algo mais.

Maverick Vi√Īales

A Suzuki levar√° duas caixas de cambio, e os pilotos escolheram ainda nos treinos livres qual o melhor a usar, Vi√Īales tentou tamb√©m tirar um pouco da press√£o e¬†expectativa¬†que os bons resultados nos testes trouxeram.

Eu quero ser mais r√°pido em compara√ß√£o com a √ļltima temporada O trabalho em equipe √© vital, meu sonho √© chegar ao p√≥dio e estar no n√≠vel dos melhores pilotos Mas eu tenho que ser realista e eu acho que ainda h√° um grande trabalho a fazer.

Por Jeison Marques

Fontes MotoGP, GPone, Motorcyclesports



Empresario, pai e entusiasta do mundo das duas rodas, criou o blog Maniamoto em 2015 com a inten√ß√£o te ter um espa√ßo democr√°tico e livre onde todos possam expor suas opini√Ķes e trocar ideias sobre o assunto Motovelocidade.