CRÍTICA: A KTM frustrou seus fãs nas duas corridas do Qatar.

ktm miguel oliveira

Diante da mágica temporada de 2020 da KTM, 2021 vem se mostrando uma enorme dor de cabeça para os austríacos. Qual o motivo de uma equipe como a KTM no seu quinto ano de categoria ainda sofrer para estar de forma efetiva no TOP10 em cada corrida do calendário?

O caro editor aqui, fã e admirador do projeto da equipe na MotoGP, não pode se isentar de também criticar a equipe. Não é novidade para ninguém que a equipe cometeu erros amadores no inicio da sua jornada, mas não podemos negar que a equipe ainda erra na parte de gestão. Vale recordar que a equipe assinou contrato com Danilo Petrucci para que o mesmo fosse piloto na equipe oficial, um ato de desespero após o anuncio que Pol Espargaró iria para a Honda. Horas depois a gestão da KTM comunica que Petrucci iria ser piloto da Tech3.

O primeiro questionamento que faço é: Pra quê contratar o Petrucci? Vou ser sincero, Petrucci é um piloto “OK”, mas não é alguém que fará a equipe campeã, não duvido que até o final da temporada ele fará corridas razoáveis, mas ser na razoável ou na média não é o suficiente quando estamos falando da MotoGP.

Outro ponto que quero tocar é no desenvolvimento da motocicleta, Miguel Oliveira após a segunda corrida no Qatar se queixou do fato da RC16 não poder ser guiada com pneus macios como acontece com a maioria das outras motocicletas do gride.

 

Acho muito legal sempre termos outras soluções para alcançarmos os objetivos, como é o caso da KTM que usa chassi de aço e suspensão WP. Ter uma suspensão para concorrer com a Ohlins é ótimo para a competição, já que estamos falando um monopólio na MotoGP, mas vale ressaltar que a WP não usa o sistema de gás nas suas suspensões como acontece com a Ohlins. Acredito que o primeiro passo para vencermos é estudar quem está, não duvido da capacidade dos engenheiros da WP, mas feijão com arroz não é o suficiente.

suspensao wp

E vamos ao bendito chassi de aço, vejo que a KTM usa apenas por vaidade, já que os ‘cabeças da equipe’ falaram que nunca iriam mudar a concepção porque é algo que está totalmente ligado à tradição da fabricante. Por mim podiam pintar de laranja um chassi deltabox, o que importa é vencer.

É cedo afirmar que a temporada da KTM será um fracasso, toda equipe tem suas competitividades comprometidas de pista para pista, mas não como aconteceu com a KTM no Qatar, em um mundo normal é esperado pelo menos duas motos no top10 numa pista “ruim” mas não é o que acontece. É necessário acordar e fazer o que for possível para vencer, lógico, de maneira limpa. Se tradição vencesse campeonatos o meu querido Vasco da Gama não estaria amargando um quarto rebaixamento.

KTM tem um dos maiores orçamentos do paddock mas os desempenhos não condizem com os rios de dinheiro que vêm sendo colocados. É decepcionante ver a Aprilia dando passos em frente enquanto a KTM fica fazendo círculos.