Grande Pr̻mio da Argentina РResultados

Marquez vence Argentina
Marquez vence Argentina

Grande Prêmio da Argentina de MotoGP

Incrível a segunda etapa do Mundial de Motovelocidade nas Termas de Río Hondo com Marc Márquez vencendo uma corrida impressionante em que Rossi foi segundo também de forma incrível.

O italiano foi segundo a maior parte da corrida e no final foi ultrapassado pelas duas Ducati, que caíram a duas curvas do fim após chocarem uma com a outra. Rossi ficou em segundo, com Pedrosa fechando o pódio.

Resumo da corrida MotoGP

Dovizioso assumiu a frente ainda na primeira volta, enquanto Márquez e Lorenzo lutavam pelo terceiro lugar, com vantagem para o homem da Honda. Em pouco tempo Iannone e Viñales ultrapassaram o campeão do mundo.

A 18 voltas do fim, Dovizioso liderava, seguido de Rossi e Márquez, com o espanhol a ultrapassar Rossi com uma ultrapassagem perfeita. Daí a ultrapassar Dovizioso não demorou mais que três curvas.

Uma das batalhas do dia foi a que opôs Dovizioso a Iannone, pelo terceiro lugar. Lorenzo caiu e não voltou à corrida, com o campeão e líder do campeonato a não pontuar. A 13 voltas do fim e Rossi fez a volta mais rápida, aproximando-se do líder Márquez.

Os pilotos começavam agora a estudar qual o melhor momento para mudar de moto, uma obrigação imposta pela Direção de Corrida por motivos de segurança após o estouro do pneu de Redding na qualificação.

Rossi seguia Márquez de perto e entram os dois juntos aos boxes, a dez voltas do fim. Márquez consegue a troca de moto perfeita e aumenta a vantagem para o italiano, que tinha Rabat pela frente – que ainda não tinha parado no box, antes de poder chegar a Márquez, ficando, após pouco tempo a mais de três segundos do espanhol da Honda.

Após todos terem trocado de moto, Márquez liderava isolado, com Rossi em segundo e Viñales em terceiro. Rossi estava a seis segundos de Márquez e tinha agora Viñales no seu encalço, à procura do primeiro pódio da carreira.

Rossi estava muito mais lento do que na primeira moto, parecendo mesmo que a moto do 46 teria algum problema. A três voltas do fim, Viñales sofre uma queda e Iannone passa a ser o perseguidor de Rossi.

A duas curvas do fim, o ataque das Ducati. Ambas passam Rossi e ficam em posição de subir ao pódio.

No fim Márquez é premiado com uma grande vitória, com larga margem para Rossi, que assume o segundo lugar após as duas Ducati terem chocado uma contra a outra. Em terceiro ficou Pedrosa.

Queda Iannone Dovi
Queda Iannone Dovi

Esse fato foi o mais marcante e decisivo da corrida foi a queda de Iannone que mudou todo resultado da corrida, apos a corrida a cúpula da Ducati Corse, reuniram com o piloto em sala envidraçada onde claramente Iannone foi reprendido, Gigi D’alligna que participou da reunião e que normalmente sempre está calmo, estava nesse momento visivelmente nervoso.

Hoje poderia ter sido um grande dia para Ducati depois de ganhar as duas corridas do WSBK com Davies, dois pódios no MotoGP seria, como diz o batido bordão “fechar com chave de ouro o fim de semana”

Dovizioso o maior prejudicado no incidente deu a seguinte declaração:

Eu não vi Iannone, é na direção da corrida, não veio para pedir desculpas, mas pouca mudança, algumas coisas que eu pensava antes, hoje houve a confirmação.

Mais tarde, publicamente Iannone pediu desculpas a equipe e a seu companheiro.

Destaque para o quarto lugar de Laverty, ele que consegue assim o seu melhor resultado da carreira na classe rainha. Barberá consegue um surpreendente quinto lugar, seguido de Pol Espargaró. Bradl, da Aprilia, foi sétimo, seguido das Ducati de fábrica e Bradley Smith fechou o top dez.

POS # RIDER NAME GAP
1
93
M. MARQUEZ
34:13.628
2
46
V. ROSSI
+7.679
3
26
D. PEDROSA
+28.100
4
50
E. LAVERTY
+36.542
5
8
H. BARBERA
+36.711
6
44
P. ESPARGARO
+37.245
7
6
S. BRADL
+41.353
8
4
A. DOVIZIOSO
+58.627
9
29
A. IANNONE
+58.912
10
38
B. SMITH
+1:42.799
11
53
T. RABAT
+1:43.199
12
19
A. BAUTISTA
+1:53.245
13
41
A. ESPARGARO
+2:00.626
14
51
M. PIRRO
+2:11.975
15
35
C. CRUTCHLOW
+2:26.725
RT
25
M. VIÑALES
29:15.756
RT
45
S. REDDING
26:33.059
RT
76
L. BAZ
21:23.722
RT
99
J. LORENZO
8:35.054
RT
43
J. MILLER
5:40.140
RT
68
Y. HERNANDEZ
3:30.785

Moto2

Zarco Argentina moto2
Zarco Argentina moto2

O atual campeão do mundo Johann Zarco vence a corrida de Moto2 do GP da Argentina, à frente de Sam Lowes e de Jonas Folger.

Quem largou melhor foi Jonas Folger, com Sam Lowes e Johann Zarco disputando o segundo lugar atrás do alemão. Lowes conseguiu passar pelo campeão do mundo e, a 20 voltas do fim, também passou por Folger e assumiu a liderança.

Quatro pilotos rodavam na frente (Lowes, Folger, Zarco e Morbidelli) e três mais atrás (Aegerter, Syahrin e Rins). Neste grupo, Rins foi surpreendentemente ultrapassado pelos outros dois elementos.

Zarco parecia ser quem melhor acompanhava Lowes, começou a mostrar-se ao britânico a 12 voltas do fim e conseguiu passá-lo pouco depois.

Mais atrás, Rins acordou a meio da corrida e voltou a colocar-se em quinto e a fazer as melhores voltas da corrida,

A apenas cinco voltas do fim, Lowes saiu muito largo no grupo da frente e Morbidelli aproveitou para passar. Esta situação só beneficiou Zarco, que fugiu um pouco aos restantes pilotos.

Lowes voltou a passar Morbidelli mas, a três voltas do fim, já seria tarde para apanhar Zarco.Jonas Folger aproveitou uma queda de Morbidelli a duas voltas do fim para subir ao pódio, esse pódio seria o melhor da carreira do Italo-Brasileiro mas novamente Morbidelli não contou com a sorte.

Zarco, Lowes e Folger estiveram sempre juntos durante toda a corrida. O melhor dos restantes foi Alex Rins, que foi quarto. O vencedor da primeira corrida, no Qatar, Thomas Luthi, foi sétimo mas manteve a liderança do campeonato.

Quanto à luta particular entre Miguel Oliveira e Danny Kent, o britânico voltou a levar a melhor, sendo 16º, em comparação com o 21º lugar do português.

POS # RIDER NAME GAP
1
5
J. ZARCO
40:57.806
2
22
S. LOWES
+1.347
3
94
J. FOLGER
+2.754
4
40
A. RINS
+6.101
5
77
D. AEGERTER
+17.384
6
55
H. SYAHRIN
+17.484
7
12
T. LUTHI
+26.411
8
49
A. PONS
+31.016
9
30
T. NAKAGAMI
+31.403
10
54
M. PASINI
+31.816
11
23
M. SCHROTTER
+32.329
12
19
X. SIMEON
+40.968
13
7
L. BALDASSARRI
+47.883
14
97
X. VIERGE
+56.027
15
39
L. SALOM
+58.278
16
52
D. KENT
+58.437
17
14
R. WILAIROT
+58.615
18
10
L. MARINI
+59.245
19
60
J. SIMON
+59.535
20
24
S. CORSI
+59.878
21
44
M. OLIVEIRA
+1:00.406
22
70
R. MULHAUSER
+1:09.254
23
2
J. RAFFIN
+1:14.825
24
32
I. VIÑALES
+1:16.792
25
21
F. MORBIDELLI
+1:41.530
26
8
E. VAZQUEZ
+34.443
27
33
A. TONUCCI
+34.705
RT
11
S. CORTESE
21:50.912
RT
73
A. MARQUEZ
1:57.720

Moto3

Argentina moto3
Argentina moto3

O jovem malaio novato Khairul Pawi, de apenas 17 anos, venceu o GP da Argentina de Moto3, tornando-se o primeiro malaio a ganhar uma corrida em qualquer uma das categorias do mundial de velocidade.

Com a pista molhada e apenas uma ou outra trajetória seca, a largada todos foram prudentes, menos Livio Loi, o único com pneus para pista molhada.

Mas a surpresa maior veio do jovem malaio Khairul Pawi, que mesmo com pneus slick, assumiu a liderença na primeira volta , com grande vantagem para todos, incluindo Loi. Para se ter uma ideia, a 18 voltas do fim, Pawi rodava três segundos mais rápido que Loi.

A 14 voltas do fim, com a pista a secar cada vez mais, começou o pesadelo de Livio Loi com os pneus para pista molhada. Foi ultrapassado por Adam Norrodin e Jorge Navarro e, daí para a frente, foi perdendo posição atrás de posição.

E de repente dois malaios (Pawi e Norrodin) estavam em lugar de pódio, mas Pawi estava numa corrida à parte, com 20 segundos de vantagem.

Mais atrás, Brad Binder, que partiu da pole position e perdeu muitos lugares na largada, foi recuperando lentamente e chegou ao quarto lugar, mas tinha a concorrência de mais quatro pilotos.

Com uma enorme vantagem, Pawi foi dobrando os pilotos mais lentos e ganhou mesmo a corrida, com 26 segundos de vantagem sobre o espanhol Jorge Navarro.

Os últimos metros foram dramáticos para o outro malaio, Adam Norrodin, que caiu na última curva na luta pelo segundo lugar com Navarro. Norrodin acabou a corrida a empurrar a moto, a pé, e ainda foi 11º.

Com a queda de Norrodin, Binder foi terceiro classificado.

POS # RIDER NAME GAP
1
89
K. PAWI
41:35.452
2
9
J. NAVARRO
+26.170
3
41
B. BINDER
+30.060
4
55
A. LOCATELLI
+30.339
5
36
J. MIR
+30.506
6
76
H. ONO
+30.736
7
17
J. MCPHEE
+32.493
8
88
J. MARTIN
+40.596
9
84
J. KORNFEIL
+45.667
10
23
N. ANTONELLI
+45.893
11
7
A. NORRODIN
+46.173
12
58
J. GUEVARA
+51.434
13
20
F. QUARTARARO
+57.893
14
6
M. HERRERA
+1:05.983
15
65
P. OETTL
+1:08.426
16
11
L. LOI
+1:10.165
17
33
E. BASTIANINI
+1:11.664
18
8
N. BULEGA
+1:11.791
19
19
G. RODRIGO
+1:12.151
20
5
R. FENATI
+1:12.270
21
10
A. MASBOU
+1:12.382
22
64
B. BENDSNEYDER
+1:12.522
23
21
F. BAGNAIA
+1:18.884
24
98
K. HANIKA
+1:25.115
25
4
F. DI GIANNANTONIO
+1:31.975
26
95
J. DANILO
+1:38.400
27
24
T. SUZUKI
+1:38.784
28
43
S. VALTULINI
+1:39.051
29
16
A. MIGNO
+1:44.035
30
40
D. BINDER
+7.724
31
77
L. PETRARCA
+7.854
32
3
F. SPIRANELLI
+8.124
RT
44
A. CANET
36:13.965

Fontes Motorcyclesports, MotoGP, GPone




Empresario, pai e entusiasta do mundo das duas rodas, criou o blog Maniamoto em 2015 com a intenção te ter um espaço democrático e livre onde todos possam expor suas opiniões e trocar ideias sobre o assunto Motovelocidade.