Jack Miller, quando não é oito é oitenta!

Jack Miller chegou a Jerez com um ótimo pódio conquistado em Austin, que rendeu a ele inúmeros elogios, algo significativo na sua carreira, que acabou mostrando que piloto australiano está amadurecendo e ficando na experiente, de uma forma que até pode merecer a famigerada vaga de Danilo Petrucci na Ducati.

Mas nem tudo são flores, desde suas primeiras saídas nos treinos da sexta-feira, Jack Miller teve inúmeros problemas. No sábado ficou no Q1 sendo obrigado a largar na décima quinta posição. Na corrida vimos uma manobra um tanto infantil que acabou resultando no seu abandono, Jack tenta se explicar: “Na curva Aleix abriu um pouco, tentei manter a linha por passei para tentar puxar mais para dentro no meio dela, mas não funcionou bem. Foi uma decepção para a equipe, estou bem, mas estou desapontado”.

“Nunca é bom correr por 23 voltas e não terminar a corrida, tudo corria bem até as últimas cinco voltas quando encontrei Cruthclow, achei que era mais rápido que ele. Desde aquele momento tive muitos problemas de aderência e os problemas começaram a falhar. Precisamos analisar os dados porque não tive mais a mesma aceleração”.

Incidente de Jack Miller com Aleix Espargaró.

___

Para quem almeja estar em uma equipe de fábrica é necessário ter mais os pés no chão e reconhecer seus limites em cada corrida, nunca o equipamento vai funcionar da mesma maneira em todas as pistas. Jack Miller teve uma ótima corrida em Austin mas achou que poderia fazer melhor ainda em Jerez, grande engano, nessa ânsia de “mostrar serviço” ficou evidente que ainda age por impulso em momentos decisivos. Para um piloto que tem fama de “bad boy” ou até mesmo “Dick vigarista” isso não fica bom.

É uma grande verdade que quem não arrisca não petisca, mas venhamos e convenhamos, uma coisa é cair disputando o pódio, outra bem diferente é estar fazendo lambança no pelotão do fundo.

Do meu ponto de vista tenho a idéia de que Jack acabou perdendo “pontos” com os chefes nessa escalada para montar na equipe oficial, vale ressaltar que Petrucci teve uma ótima corrida mantendo-se atrás do Dovi. Petrucci com sua regularidade vai aumentando suas chances de renovar com a Ducati por mais um ano.

Leia também: A difícil tarefa de ser pai, patrão, engenheiro ou nada disso.