Joan Mir é confirmado na Suzuki.

A Suzuki confirmou oficialmente que Joan Mir, atualmente na Moto2, vai completar a formação de pilotos da Suzuki em 2019. Joar Mir garantiu a vaga na equipe de fábrica depois de apenas duas temporadas e meia no Mundial.

Joan Mir

O espanhol estreou como piloto efetivo na Moto3 no início de 2016, foi campeão do mundo em 2017 e ingressou na Moto2 em 2018.

A Mir fará uma parceria com Alex Rins em um contrato inicial de dois anos, no lugar de Andrea Iannone, que se juntará à Aprilia na próxima temporada.

O tão aguardado anúncio também significa que todos os doze lugares das equipes de fábrica da MotoGP agora estão ocupados para as temporadas de 2019 e 2020.

“Joan Mir tem apenas 20 anos agora, já é um campeão mundial com impressionantes 10 vitórias no ano passado e ele já provou várias habilidades”, disse o diretor da equipe Suzuki, Davide Brivio.

“Ele é feroz, espirituoso, ele é legal e pode ser muito rápido. Todas as características que nós gostamos de procurar em um jovem piloto que quer se juntar a nós não apenas pelo prestígio de uma equipe de fábrica, mas acima de tudo porque ele acredita no nosso projeto de corrida”.

“Falando com ele, percebi o quanto ele tem uma mente clara, o quanto ele gostou do nosso projeto e queria se juntar a nós. Isso foi um grande impulso para nós. Claro, sabemos muito bem que ele precisará de tempo para ganhar experiência, experimentar e crescer conosco, mas temos plena confiança no seu potencial”.

“A direção da Suzuki encorajou-nos a perseguir a ‘filosofia do jovem piloto’ e com Joan acho que encontramos o protagonista perfeito para este papel. Com Alex e Joan temos dois pilotos muito talentosos e o nosso objetivo é criar uma equipa forte para o futuro”.

O líder do projeto da Suzuki na MotoGP, Shinichi Sahara, disse: “Como equipe, sempre tentamos antecipar planos de desenvolvimento a longo prazo, o que inclui também fazer algumas apostas em jovens pilotos que sentimos como um investimento para o futuro”.

Fizemos isso no nosso ano de estreia em 2015(Maverick Viñales), fizemos isso de novo em 2017 quando assinou o estreante Alex Rins, que foi confirmado também este ano, e estamos confirmando ainda mais este com o acordo com Joan Mir“.

“Ele é um jovem talento que gostaríamos de ver crescer e nos ajudar a fazer crescer a GSX-RR e a equipe com ele. Ele agora está envolvido na classe de Moto2 e nós definitivamente queremos que ele aproveite o campeonato, mas também estamos ansiosos para começar a trabalhar com ele e vê-lo estrear na classe rainha”.

No pódio nas duas últimas corridas da Moto2 com a equipe Marc VDS, Mir está atualmente em quinto no campeonato, um lugar atrás do experiente companheiro de equipe Alex Marquez.

O empresário de Mir revelou em Le Mans que o mesmo estava sendo cotado por não menos que três fábricas diferentes, Suzuki, Honda e Ducati, mas agora seguirá os passos dos conterrâneos Rins e Maverick Viñales.

A Suzuki, que perdeu o vencedor da sua primeira corrida após o retorno à categoria, Viñales, para a Yamaha no final de 2017. Acredita-se que tenham assinado um contrato mais apertado para manter a Mir em uma possível renovação, caso o piloto de 20 anos se mostre tão talentoso na categoria rainha como agora.

Rins, que conquistou seu primeiro pódio no MotoGP na Argentina, agora deve liderar o desenvolvimento do 2019 GSX-RR, enquanto Mir ganha experiência.

A incerteza sobre os planos de 2019 da Marc VDS significa que não está claro se Alex Marquez também irá para a MotoGP na próxima temporada, como era esperado.

O irmão mais novo do campeão da MotoGP, Marc Marquez, aproximou-se da Tech3 para se informar sobre o lugar restante da equipe, mas a vaga foi para Hafizh Syahrin .
__________
Leia também: Confira o gride parcial da MotoGP para 2019.