Joan Mir está contente com a experiência no MotoGP.

O estreante na categoria rainha do MotoGP, Joan Mir, fala sobre sua primeira experiência com a Suzuki GSX-RR para a temporada de 2019. Depois de apenas um ano pela equipe Marc VDS no Moto2, sendo que em 2017 foi campeão do mundo no Moto3, fez o salto para a primeira classe e já está nos boxes de uma equipe de fábrica.

“A aceleração das motos no MotoGP é brutal, o sentimento nas frenagens é impressionante. A diferença de velocidade é enorme em comparação com a Moto2. Com tanto poder em mãos trata-se de trabalhar para administrar a situação. Você tem que estar muito focado, se você está apenas um décimo de segundo de distância a moto tem total capacidade de encostar no adversário”.

Joan Mir terá que trabalhar no gerenciamento do da potência para assumir o controle da sua Suzuki no MotoGP, então todo o restante se encaixará: “A saída da curva é muito importante, você tem que se preparar e tentar obter o máximo de velocidade para entrar forte na curva. Este é um estilo de condução que negligenciei durante a minha estadia na Moto2 e estou contente por o encontrar novamente essa qualidade na classe do MotoGP.”

A frenagem também é um desafio: “A velocidade dessa fera é impressionante, então você tem que frear com força e precisão. Os freios de carbono são muito estranhos: se você vai na pista e ainda está frio, então eles não funcionam. Você pode alavancar o freio das mais variadas formas que simplesmente não freará. Uma vez que eles estão em temperatura ideal de funcionamento, a moto freará tanto que não há como explicar para vocês. É um sentimento muito especial, é emocionante, mas você precisa ter cuidado também”, disse Jon Mir.

“Eu tive uma sensação muito positiva após os primeiros testes com a Suzuki. Nosso objetivo principal para este ano é aprender e reduzir progressivamente a distancia entre eu o pilotos no topo, corrida após corrida. Sinto-me muito confortável no MotoGP, confirmando que a nossa decisão de mudar para a categoria rainha depois de apenas um ano de Moto2 estava certa. Agora podemos aproveitar e trabalhar para crescer e melhorar “.

Leia também: Todo mundo inveja Marc Márquez?

Matéria originalmente traduzida do site Tuttomotoriweb.com