Johann Zarco: RC16 em breve melhor que a M1?

Depois de dois anos na Tech3 Yamaha, Johann Zarco se junta à equipe de fábrica da Red Bull KTM. Isso traz muitas mudanças para o francês: ele precisa se adaptar ao protótipo RC16, e ao seu papel como piloto oficial e, é claro, a um novo time. O piloto da KTM em 2.019 terá entre outros, o engenheiro alemão Marcus Eschenbacher, que foi mais recentemente com a Aprilia como chefe de equipe para Aleix Espargaró em ação.

Mudar para a KTM foi mais dif√≠cil para a Zarco do que a sexta classifica√ß√£o no Campeonato do Mundo de MotoGP de 2018. O teste de Jerez terminou com 1.919 segundos atr√°s do melhor tempo de Takaaki Nakagami (Honda), em 19¬ļ lugar, mas estava confiante na entrevista.

O que você pode fazer para adaptar seu estilo de pilotagem à KTM?
Para fazer melhor uso do motor V, voc√™ tem que fazer as curvas em um “V”! Voc√™ tem que dirigir um pouco menos em torno da curva – n√£o hesitar em frear um pouco mais, para… – boom – ent√£o realmente usar o torque e pot√™ncia e acelerar fora da curva.

Isso estava faltando na Yamaha. Acredito que é preciso ser capaz de dominar tanto o estilo de condução angular quanto o redondo, porque há trechos em que algumas curvas exigem um estilo de direção diferentes.

Esse estilo de pilotagem angular j√° havia sido dos americanos na Copa do Mundo de 500cc, por exemplo, Freddie Spencer. “N√≥s esquecemos os cantos”, disseram eles. Eles dirigiram apertado e montaram a m√°quina no √°pice e aceleraram mais cedo que os advers√°rios com o estilo de dire√ß√£o redondo. Ent√£o eles fizeram mais velocidade m√°xima.
Sim, Marc M√°rquez domina ambos os estilos de condu√ß√£o. N√£o tem sido meu estilo confiar na pot√™ncia do motor nas curvas, mas √© bom ver que a sua moto ganha velocidade desde os primeiros metros. Voc√™ precisa aproveitar os pontos fortes do motor KTM …

Não é que esteja falando potencia na Yamaha, mas o desempenho se desdobra de forma diferente.

Você se dá bem com o diretor técnico da Red Bull KTM, Sebastian Risse?
Sim, realmente um grande homem. Ele também escreve tudo. Eu acho que toda a equipe aprecia meus comentários. A maneira como aprendi a dirigir me possibilita descrever com muita precisão. Quando eu digo a eles que estou deslizando na curva 3, também explico quanto gás eu tenho no momento em que estou sentado na moto. Eu também posso mostrá-lo nos dados, e é por isso que tira muito trabalho de base. Eu posso provar que o meu sentimento não está errado, o que me faz ter muito credito com eles.

Diz-se que a Yamaha é forte na entrada de curvas, mas a sua moto tem que ser forte em todo os lados. Você vê Márquez, sua força é exatamente na entrada como no meio e na saída. Ele perde a roda da frente mais do que os caras da Yamaha, mas sua moto permite que ele dirija assim.

Seu novo chefe de equipe, Marcus Eschenbacher, como ele est√°?
Alem√£o! Ele trabalha muito metodicamente. N√≥s testamos uma coisa depois da outra. √Č por isso que geralmente precisamos de quase seis dias de testes. Mas pelo menos n√£o h√° confus√£o. Ele realmente tem uma longa lista para testar. E tudo o que ele pode fazer, ele saber√° analisar. Mesmo depois disso, quando ele dirige para casa, ele ainda analisa muito. Ele me envia mensagens. Isso √© legal

Ele tem muita experi√™ncia, um pouco como Guy [Coulon], mas com mais uma ferramenta: ele pode verificar meu sentimento com os dados. Guy n√£o fez isso. Mesmo que isso funcionasse bem com o sentimento, porque fizemos um bom trabalho na Tech3. Mas quando Marcus tem uma d√ļvida em casa, ele se controla enquanto Guy tem que perguntar a um homem interino da Yamaha. Isso levava mais tempo.

Você escolheu o Marcus?
N√£o, eu n√£o o conhecia. Ele foi escolhido por Mike Leitner, acho que Mike o conhecia. Ele foi recomendado para mim por [Aki] Ajo. No in√≠cio, quando a equipe estava preparada, eu preferia ter o Massimo [Branchini], com quem eu fui campe√£o mundial duas vezes. Mas o Massimo disse-me: ‘Estou bem na Moto2 com o Ajo, o desafio com a Triumph. Aki disse-me que acha que o Marcus vai adaptar-se bem ao plantel da KTM no MotoGP.

Marcus trabalhou com Aleix Espargaró na Aprilia em 2018, e quando Aleix soube que estava indo para a KTM, ele disse que seria uma grande perda para eles.
Marcus e Erkki [Siukola], que cuidam da eletr√īnica. Eles trabalham bem juntos.

A equipe da Tech3 também mudou para a KTM. Você está feliz que você ainda tem um certo vínculo com eles?
Sim, muito mesmo. Mesmo Marcus ocasionalmente vai para Guy, seu feedback é realmente interessante. Ele tem uma boa visão geral do conceito de uma motocicleta. Guy é aquele que constrói motocicletas. Eu acho que a KTM agrada, Marcus também gosta e eu estou bem porque eles me conhecem. Existem alguns comentários que eles podem trocar. No final, é sobre coisas técnicas, não quero lidar com isso. Mas é uma conexão forte e uma ajuda extra.

O que √© preciso para ser um piloto de equipe oficial? Voc√™ tem muito mais para testar, mais reuni√Ķes t√©cnicas?
Sim. Eu tenho dez pessoas ao meu redor quando estou nos boxes, ao contr√°rio das cinco do ano passado. Eu tamb√©m tenho mais reuni√Ķes t√©cnicas porque estamos no meio do desenvolvimento da moto. O que est√° mudando mais para mim √© considerar que voc√™ n√£o pode ser r√°pido imediatamente. Mas voc√™ pode se tornar atrav√©s do trabalho. Na Yamaha eu tinha algumas coisas boas. Voc√™ tira o m√°ximo poss√≠vel e chega a um certo ponto. Com a KTM, estamos no come√ßo, mas se trabalharmos bem, podemos ser melhores em algum momento do que com o M1 – levando esse projeto √† maturidade.

Quando voc√™ tenta as coisas em uma equipe de f√°brica, a mec√Ęnica funciona. Isso n√£o significa que eles n√£o fizeram nada na Tech3, mas na KTM eles n√£o param de mover a moto em todas as dire√ß√Ķes, eles est√£o construindo para cima e para baixo. √Äs vezes h√° um pequeno problema t√©cnico: √© realmente uma equipe de f√°brica, nunca para.

Você tem mais oportunidades para orientar o desenvolvimento da motocicleta. Isso te incomoda ou você gosta disso?
Eu gosto disso porque sei com experiência que todas essas ferramentas são boas. Mas não estou preocupado com os detalhes. Eu explico tudo o que sinto e depois há uma pessoa para cada ferramenta. Essa pessoa deve ser competente para lidar bem com isso. E depois há o Mike, que supervisiona tudo. Se uma pessoa não é competente o suficiente, então ele a vê.

Est√° indo bem com o gerente da equipe Mike Leitner?
Sim, ele também foi piloto e constrói a equipe para vencer Рpara tentar vencer. Também Pit [Beirer] é muito persistente. Ele acabou de me ligar, estávamos no telefone por 20 minutos. Mas você sente que ele não quer desapontar-nos.

Ao contr√°rio da Yamaha, onde a sua filmagem foi inferior √† de Rossi e Vi√Īales, agora voc√™ tem o melhor RC16 poss√≠vel. Isso √© psicologicamente importante?
Sim, mas isso n√£o me diz respeito. Mesmo com a Yamaha, n√£o me importei. Foi r√°pido e bom para mim. L√° estou eu sobre isso.

Matéria originalmente traduzida do site Speedweek.com