Losail-Catar Moto3: Vitória histórica de Pedro Acosta

Você não consegue as coisas pelo desejo; você as consegue pelo trabalho
Pedro Acosta

“Não existe montanha alta o suficiente que não possa ser escalada”. O jovem piloto de Múrcia, vencedor da Red Bul Rookie Cup 2020, possivelmente tinha isso em mente hoje quando largou do “pit lane”, obtendo uma das vitórias mais brilhantes da história do motociclismo e a primeira dessa forma na Moto3.

Pedro Acosta e mais seis pilotos receberam um verdadeiro castigo ao largarem do pit lane – quase 11,8 segundos – atrás do pelotão principal. Eles foram sancionados a largar do pit lane por pilotagem irresponsável nos treinos livres, quando reduziram a velocidade para evitar se tornarem referência dos pilotos que vinham atrás.

A receita clássica para ganhar na Moto3 – qualificar-se nas quatro primeiras linhas; fazer uma boa largada; ficar entre os cinco primeiros; evitar os pilotos kamikazes; começar a acelerar nas últimas três voltas – tornava quase impossível a tarefa de conseguir uma boa posição após cruzar a linha de chegada.

“Ontem eu estava bastante cético depois de receber a penalidade”, declarou o jovem piloto de 16 anos (nasceu em 2004). “Mas esta manhã, após acordar, disse a meu assistente Pako – cara, nós podemos conseguir. Na 10º volta vou estar na grupo principal. No final consegui a vitória”.


O ‘tubarão Mazarrón’, como gostam de chamá-lo, e que em casa atende como Kevin por causa de seu ídolo Kevin Schwantz, foi o melhor na corrida de hoje e o segundo na primeira corrida da categoria. Acosta agora lidera a classificação do campeonato com 45 pontos, seguido por Binder com 36 pontos, e Masia com 32 pontos em terceiro.

Como “nada vem do nada”, Pedro Acosta já era um fenômeno nas categorias de base. Em 2009, ele foi vice-campeão da Red Bull Rookie Cup; em 2020 foi campeão da Red Bull Rookie Cup. Agora seu nome se tornou conhecido para os fãs da motogp. “Se a pressão aparecer porque consigo pódios, ela será bem-vinda”, declarou o alegre “rookie”, como se fosse um piloto com 10 anos de experiência, que não se contenta apenas com um segundo lugar.

Seu desempenho foi tão brilhante que recebeu imediatamente os parabéns de Marc Márquez nas redes sociais: “Pedro Acosta você é bom, muito bom. Parabéns pela sua primeira vitória na Copa do Mundo, e muitas outras virão. Bravo!”.

Para E. Bastiani foi uma vitória fantástica de Pedro Acosta. “Nunca assisti uma corrida assim. Foi muito legal; tiro o meu chapéu.” D. Pedrosa já tinha realizado tal feito quando obteve sua 7º vitória na MotoGP, correndo em pista molhada.

Para Acosta sua estreia na Copa do Mundo, aos 16 anos não podia ter sido melhor. Uma semana após subir ao pódio em sua primeira corrida na Moto3, ele realiza um feito antológico. É por isso que ele diz que você só consegue aquilo que deseja com trabalho. É por isso que ele ri da pressão — Mais pressão do que coloquei em mim, no meu primeiro treino da Moto3? É por isso que ele agora quer divertir-se como um dia se divertiu o grande kevin Schwantz. “Schwantz foi um show na moto, assim como Casey Stoner quando mudou para a Honda e ralou todos eles.”

Acosta garante que ele, que se meteu nessa coisa de moto porque seu pai tinha moto e ia correr no circuito de Cartagena, um dia subiu numa delas e nunca mais largou esse esporte. Ele garante que aprendeu a correr assistindo vídeos de Schwantz e da velha escola. “Meu pai era apenas um “domingueiro” e eu seguia os pilotos de seu tempo, e os adorava”, declarou este amável e ousado piloto que não duvida de ver um ‘novato’ vencendo o Mundial.

Nem é preciso dizer que Acosta está extremamente feliz por ter entrado, no final das contas, em uma das melhores equipes da Moto3, a Red Bul KTM Ajo, da qual é companheiro de equipe de J. Masia. “Todos me disseram que o dono da equipe por ser finlandês, a Ajo era uma equipe muito fria e a verdade é que encontrei uma verdadeira família na qual me sinto no céu. Aqui todos trabalham para todos, não há separação entre a equipe técnica de Jaume e a minha. Além disso, os meus mecânicos costumam trabalhar para Jaume Masia na sua motocicleta. É um prazer trabalhar com eles.”

Enfim leitores do Maniamoto, aparentemente estamos diante de uma moeda verdadeira. Tem que ter muito talento para ganhar largando do pit lane numa categoria em que as motos são parecidas. Uma vez que pilotos adoram copiar o cara que está ganhando, é possível que ocorra tumultos nos treinos livres de Moto3 em Portimão, para a nossa alegria.