Manuel Pecino: Yamaha n√£o pode trabalhar para um quase aposentado

SCARPERIA, ITALY - MAY 22: Valentino Rossi of Italy and Movistar Yamaha MotoGP retired during the MotoGP race during MotoGp of Italy - Race at Mugello Circuit on May 22, 2016 in Scarperia, Italy. (Photo by Mirco Lazzari gp/Getty Images)

De acordo com Manuel Pecino, a Yamaha¬†est√° vivendo talvez a pior crise de toda a sua hist√≥ria.¬†A √ļltima vit√≥ria aconteceu em Assen – Holanda com¬†Valentino Rossi46¬†em 2017 e os problemas parecem aumentar corrida ap√≥s corrida.¬†Entre as principais fraquezas desta moto, parece ser a eletr√īnica, que n√£o distribui adequadamente a pot√™ncia do motor o que leva a um consumo de pneus bem acima das suas rivais, entre outros problemas como a acelera√ß√£o.

Durante o programa “Paddock”, o jornalista espanhol Manuel Pecino tentou analisar a situa√ß√£o atual na¬†Yamaha:
“A sensa√ß√£o √© que o que acontece no¬†Campeonato Mundial¬†n√£o tem uma linha direta com o Jap√£o. Outra, eu respeito muito o¬†Valentino Rossi, mas voc√™ n√£o pode construir um projeto futuro em torno de um piloto que est√° na √ļltima fase de sua carreira.¬†Do ponto de vista t√©cnico, acredito que a solu√ß√£o da¬†Yamaha¬†√© encontrada no seu passado.¬†A¬†Yamaha¬†chegou a¬†MotoGP e foi um desastre, n√£o funcionou.¬†Ent√£o eles procuraram um engenheiro brilhante no departamento de corridas para fazer uma revolu√ß√£o. Infelizmente no atual departamento de corridas eu n√£o acho que h√° um engenheiro brilhante como na √©poca foi o¬†Furusawa¬†. Ent√£o a sa√≠da est√° l√° fora e n√£o dentro”.

O multi campe√£o Giacomo Agostini que tamb√©m participava do programa deu sua opini√£o:¬†“Valentino tem um poder tremendo, tem dado tanto a¬†Yamaha, tantas alegrias, tantos t√≠tulos e eu n√£o sei se as suas instru√ß√Ķes s√£o certas ou erradas.¬†Para os t√©cnicos e engenheiros voc√™ tem que dar as indica√ß√Ķes porque eles n√£o est√£o na moto, eles n√£o sabem o sentimento que voc√™ tem.¬†Quando fui ao Jap√£o na¬†Yamaha, trouxe v√°rias solu√ß√Ķes que o¬†piloto de¬†testes japon√™s desenvolveu, e n√£o eu, melhorou.¬†Trouxe-lhes coisas que poderiam ter sido melhores, elas as desenvolveram e a moto melhorou, tanto que tamb√©m me permitiu vencer o campeonato mundial”.

*  *  *  *  *  *  *  *  *  *  *  *  *  *  *

Para complementar o ang√ļ:

Lorenzo e Brivio: sem eles a Yamaha n√£o vence !!!

 

Jorge Lorenzo¬†e¬†Davide Brivio¬†, dois sin√īnimos de vit√≥ria na Yamaha.¬†O primeiro disse adeus no final de 2016, indo para a¬†Ducati, enquanto o √ļltimo saiu em 2010 assumindo o desenvolvimento da equipe Suzuki f√°brica.

Davide Brivio¬†talvez tenha vivido o momento mais bonito da hist√≥ria recente da¬†Yamaha.¬†O seu papel na negocia√ß√£o que levou¬†Valentino Rossi¬†a Iwata foi¬†fundamental.¬†Com “The Doctor”, o atual gerente da equipe¬†Suzuki¬†trouxe para casa de Ywata 5 t√≠tulos mundiais em 7 temporadas, de 2004 a 2010, n√ļmeros que foram definitivamente reduzidos ap√≥s sua sa√≠da.

De fato, de 2011 até hoje, apenas 2 títulos em 7 temporadas chegaram. Após a saída da Yamaha, Davide Brivio tornou-se gerente da equipe Suzuki em um projeto muito jovem, mas muito ambicioso. Dois anos atrás, a primeira vitória na MotoGP veio com Maverick Vinales e este ano uma série de pódios com Alex Rins e Andrea Iannone, em suma, o trabalho com os japoneses parece estar valendo a pena e no caminho certo Рlembrando que a Suzuki tem um orçamento muito limitado, Brivio era a favor da chegada do Jorge Lorenzo, mas infelizmente não era ele quem assinava o cheque.

Com¬†Jorge Lorenzo¬†mudando-se para a¬†Ducati,¬†houve definitivamente um colapso na equipa de Iwata, que ap√≥s o bom come√ßo de 2017 entrou num t√ļnel que parece intermin√°vel.¬†Por outro lado, a Red de Borgo Panigale subitamente tornou-se a moto de refer√™ncia.

Dado que a¬†Ducati¬†sabe como fazer uma moto vide seus excelentes resultados obtidos no passado (v√°rias categorias) e tamb√©m a premissa de que a¬†Yamaha¬†ganhou muito mesmo sem¬†Jorge Lorenzo, parece claro que a contribui√ß√£o dos testadores dado nos √ļltimos anos pelos espanh√≥is foi definitivamente muito determinante.

Em suma, parece que a equipe de Iwata certamente não fez o bem perdendo homens tão importantes na equipe. No próximo ano, Ramon Forcada e Wilco Zeelenberg também devem deixar a equipe principal, assumindo toda a responsabilidade da equipe satélite privada SIC-Petronas, que substituirá a Tech3, outra grande perda da casa de Ywata que decidiu se mudar para a KTM.