MotoGP Notícias pós Sachsenring

Conclusão acidente Luis Salom

Luis-Salom-acidente

A conclusão do relatório é a de que a moto Kalex da SAG Team não tinha qualquer defeito no momento do acidente. Além da moto, os pneus também estavam em excelentes condições.

Quais as causas da queda, então?

O documento conclui que a frenagem feita fora do normal e o ângulo de inclinação do piloto foram as causas principais da queda de Luis Salom.

Estes resultados divergem em parte da comunicação feita pela equipa SAG, que atribui parte da culpa a pequenas irregularidades no asfalto da pista.

Segue comunicado parcial da FIM:

– […] Os dados mostram que na altura do acidente a moto ia quatro quilômetros mais devagar do que a sua volta mais rápida mas na altura da frenagem o piloto estava sete ou oito metros mais perto da curva do que a sua melhor volta. Ele confirmou que nessa parte da pista, entre duas curvas, se registou um corte parcial na aceleração. Segundo o perito, o piloto pode ter olhado para trás e quando voltou a olhar em frente pode ter lido mal a sua posição, ou então estava um pouco fora da sua linha. Isto pode ter resultado numa pressão a travar mais intensa que o costume, segundo mostra a telemetria. Como resultado de estar fora da posição normal e com a máquina a exercer pressão na frente, o pneu perdeu tração e daí resultou o acidente […] O dr. Gomez confirmou  que não viu anda fora do normal e que fosse motivo de preocupação. Confirmou ainda que não há provas nos dados [da telemetria] que levantem problemas com o asfalto da pista, incluindo eventuais irregularidades.

Com ou sem Asas Ducati voa na Áustria

MotoGP-Testes-Dovi

A Ducati foi para os testes na Austria com toda sua força, e mostrou grande performance em todas as versões de motos Gp 14,2 Gp15 e Gp16, dando esperança que na corrida finalmente o tão esperado primeiro lugar ao podio aconteça depois de quase 6 anos.

Casey Stoner esteve na Áustria e participou dos testes no Red Bull Ring, e sofreu primeira queda em quatros anos na classe rainha, como piloto de testes.

stoner-queda

O australiano comentou assim a queda no circuito austríaco:

Estou contente mas também desapontado porque foi a primeira vez que forcei a pilotagem em quatro anos com um pneu macio, e não foi bem, pois caí na curva seis.

Satisfeito com o resultado dos testes na Áustria, Casey Stoner acredita, ainda assim, que podia ter sido mais veloz, pois em Misano ele testou o novo chassis que segundo todos pilotos é bem superior a versão standard usada por Stoner nos testes na Áustria.

Conseguimos rodar bastante bem. A estabilidade em curva parece já  boa. É claro que temos muita potência mas aqui só estamos conseguindo chegar a pouco mais de 320 km/h. Eu já não identifico nenhum ponto fraco. Podemos conseguir eventualmente melhorar qualquer coisa, mas digo isto sem ter tido aqui o chassis mais recente, que testei em Misano, e  podíamos melhorar nesta área. Temos usado a versão standard, mas tenho a certeza de que com a nova versão seriamos mais fortes.

Especulado sobre se o Wild Card poderia sair na Áustria devido a performance superior da Ducati no circuito ele foi curto e direto “não vai acontecer”

Andrea Dovizioso (que usou a versão melhorada do chassis testada em Misano) foi um dos homens mais rápidos nos dois dias de testes. O piloto italiano acabou a sessão com um tempo de 1:23.680.

Foram dois dias de testes muito positivos para nós. Trabalhámos muito em muitos aspectos diferentes da moto, bem como na preparação para a corrida. Aqui temos sido competitivos, o que é ótimo para fazer dois dias de testes antes da corrida porque dá a oportunidade de trabalhar em vários parâmetros, que ainda podem ser melhorados. Estou satisfeito com a minha DesmosediciGP nesta pista, porque aqui podemos explorar todo o nosso potencial e acredito que podemos ser realmente competitivos na corrida.

Andrea Iannone que também testou com a versão melhorada do chassis, foi o piloto mais rápido da equipe. O italiano registou um tempo de 1:23.240, quatro décimas mais rápido que o seu colega de equipe.

‘Foi um teste muito positivo. Estou feliz que tenha terminado desta forma com o melhor tempo, porque nos dois dias rodámos sempre muito rápido e trabalhamos muito bem. Ontem, tentamos, pela primeira vez, o novo chassis que nos deu sensações muito positivas. Hoje concentramo-nos em trabalhar em algumas soluções de setup diferentes, com bons resultados e posso dizer que um resultado final como este é a melhor maneira de ir de férias!

Rossi, a decisão foi minha

rossi-responsabilidade

Valentino Rossi entende que a parada nos boxes em Sachsenring foi importante na decisão da corrida, mas não tanto porque demorou ter demorado a ir para a sua box e mudar de moto.

O italiano foi criticado devido à estratégia de esperar mais voltas para mudar de moto mas o Doutor nega que tenha sido isso que o penalizou em Sachsenring:

Na garagem eles me chamam quando veem alguém que tem pneus slick ou outros compostos se dando particularmente bem, mas quem está na moto sou eu e eu é que decido, e dessa vez não senti que devia parar mais cedo. A questão decidiu-se na primeira parte da corrida, quando o Márquez cometeu um erro e decidiu ir à garagem mais cedo e arriscar tudo. O meu problema não foi o timing da paragem mas sim o meu ritmo lento ao voltar para corrida.

Quanto a dificuldade da Yamaha no circuito austríaco Rossi declarou:

É um circuito muito especial  é muito, muito rápido e você gasta muito tempo com o acelerador totalmente aberto. e tem muito menos curvas. Para nós, pessoalmente, não é o melhor circuito porque geralmente sofremos um pouco sobre velocidade máxima. Será uma corrida muito difícil, especialmente com alguns dos nossos rivais de fábrica, eles são mais rápidos do que nós, mas vamos ter que esperar para o fim de semana de corrida.

Jorge Lorenzo também ficou parcialmente satisfeito com resultados da Yamaha na pista pois as Yamahas foram as “não Ducatis” mais rápidas, Lorenzo ainda enfrenta um martírio de poucos resultados nas ultimas corridas e testes. O seu principal objetivo era obter uma  adaptação à pista, assim como encontrar um bom equilíbrio para todos os aspectos da sua moto. A pista tem poucas curvas, uma reta com pouco mais de 600 metros e muitas oportunidades para acelerar ao máximo. Lorenzo ficou impressionado com a beleza do circuito. O seu melhor tempo foi de 1:24.194, marcando o sexto lugar no segundo dia.

A pista é muito bonita e muito rápida. O asfalto é bom. É muito difícil mudar este circuito. O teste de velocidade tem sido difícil porque alguns dos nossos rivais são rápidos, parecendo que a pista lhes está a dar algum tipo de vantagem, especialmente na estabilidade durante a frenagem, aceleração e velocidade máxima. Eles podem colocar toda a potência que têm na pista e a diferença nota-se a olhos vistos. Em comparação com os outros adversários nós não estamos lentos. Vamos reduzir a vantagem, mas não vamos conseguir anular toda as diferenças.

Mas eu ouvi dizer que a Ducati tem problemas com a vida útil do pneu traseiro, então eu não sei se podem manter sempre a mesma velocidade ao longo de toda a corrida. No entanto, em termos de velocidade a curto prazo estamos muito longe deles.

Tira a mão da minha Embreagem

marquez_motogp-embreagem

Segundo a telemetria da Honda a moto não estava engrenada no momento da troca feita por Márquez na Alemanha, mas a regra será alterada para que seja proibida também entregar a moto com embreagem acionada, deixando assim a regra mais clara para o futuro.