MotoGP: Reflex√Ķes e uma novidade.

M√°rquez assumiu a lideran√ßa do campeonato e estamos indo agora para Austin. Ele nunca foi derrotado em uma corrida de MotoGP em solo americano. A hist√≥ria diz que Marc voltar√° para a Europa com uma vantagem maior do que a atual. Isso o coloca em boa posi√ß√£o para conquistar mais um Campeonato. Onde est√£o aqueles que disseram que o espanhol iria precisar de seis corridas para entrar em forma? Pouco antes de subir ao p√≥dio, Valentino Rossi estendeu a m√£o dando parab√©ns ao vencedor, e todos aplaudiram o gesto cordial do italiano. Na passagem por S√£o Paulo, Marc declarou: “Qualquer coisa que envolve Valentino cresce rapidamente porque ele √© o piloto mais midi√°tico do grid”.

Se o vencedor da corrida era previsível, a batalha por trás dele foi soberba. Durante a maior parte da corrida, de cinco a oito pilotos lutaram pelo pódio. Há muitas maneiras de pilotar rápido o circuito Termas De Rio Hondo, e a batalha pelo segundo lugar revelou isso. Em lugares como a curva 7, curva 13, foi possível ver uma variedade de traçados, todos funcionando. Termas é uma ótima pista e que não é utilizada com frequência por outras modalidades esportivas.

Qu√£o perto estavam as f√°bricas? Todos os seis fabricantes terminaram entre os dez primeiros, embora houvesse um elemento de sorte envolvido. Se Franco Morbidelli n√£o eliminasse Maverick Vi√Īales – um incidente de corrida, como Vi√Īales o caracterizou, nenhuma maldade pretendida – ent√£o seriam seis fabricantes entre os doze primeiros. E de Valentino Rossi em segundo para Pol Espargar√≥ em d√©cimo, havia menos de 16 segundos. Esse foi um campo apertado.

Valentino Rossi demonstrou o valor de uma s√≥lida posi√ß√£o de qualifica√ß√£o. Depois de uma excelente corrida no Catar, prejudicado pelo fato de ter largado em 14¬ļ, sua posi√ß√£o na segunda linha do grid colocou-o numa situa√ß√£o muito melhor para voltar ao p√≥dio pela primeira vez desde Sachsenring no ano passado. “Foi crucial”, disse Rossi na confer√™ncia de imprensa. “A qualifica√ß√£o √© sempre muito dif√≠cil porque na verdade todos s√£o capazes de usar o pneu e a moto em 120% durante uma volta. Se fizer 110%, voc√™ est√° na terceira linha. Ent√£o, sair a partir da segunda linha no grid √© muito melhor, porque chego pronto, chego pronto para a corrida porque j√° tenho bom ritmo.”

Rossi mostrou também paciência e experiência, duas das qualidades mais valiosas para um piloto de moto. Valentino sabia que a sua melhor chance de um pódio era atacar no final, e não dar a Andrea Dovizioso a chance de usar a potência da Ducati para revidar. Rossi esperou, calculou o momento certo e ficou em segundo.

Foi uma boa corrida para a Yamaha no geral. Haveria quatro Yamahas no top dez se Franco Morbidelli n√£o tivesse batido a roda traseira da moto de Maverick Vi√Īales na √ļltima volta. Apesar dos problemas com a ader√™ncia traseira, a Yamaha M1 foi competitiva.

Andrea Dovizioso mostrou que ele é o mestre de controlar uma corrida. Quando ele viu que não tinha chance de igualar ao ritmo de Marc Márquez, Dovizioso controlou a corrida, garantindo que ele estivesse sempre na frente ou perto do grupo líder. Ele sabia que Rossi atacaria e sabia que havia pouco que pudesse fazer a respeito. Mas também sabia que um pódio era vital em uma pista onde a Ducati lutou no passado.

“No ano passado, eu estava pelo menos um segundo mais lento do que andei hoje”, disse Dovizioso. “Penso que a nossa melhoria √© enorme e √© por isso que o alvo foi o p√≥dio, e conseguimos. Temos que estar muito felizes com isso. N√£o √© suficiente porque lutamos com grandes pilotos, mas acho que a nossa velocidade est√° boa e eu fiquei constantemente em segundo”. Se a Ducati est√° r√°pida em Termas, uma pista onde eles lutaram no passado, “isso √© um bom press√°gio para outras pistas r√°pidas e fluidas onde lutamos, como Phillip Island.‚ÄĚ

Há uma séria batalha para 2020 entre os pilotos da Ducati. O lugar de Andrea Dovizioso é seguro, mas Danilo Petrucci assinou um contrato de um ano com a fábrica, enquanto os dois pilotos da Pramac Ducati estão à procura do seu lugar. Jack Miller derrotou Petrucci na Argentina e foi consistentemente rápido. A atração por um assento de fábrica está comprimindo mentes, tanto a de Miller quanto a de Petrucci.

Maverick Vi√Īales √© um caso curioso mais uma vez. Ele teve um come√ßo ruim, admitiu, mas fez algumas ultrapassagens agressivas e conseguiu lutar. Mas n√£o teve ader√™ncia no pneu traseiro; parecia que o pneu j√° tinha 20 voltas, disse ele. No warm up da manh√£, ele fez um 1’39.2, mas conseguiu apenas 1’40.1 durante a corrida. Onde ele perdeu 0,9 segundo por volta, o resto do campo ficou cerca de meio segundo mais lento. Em outras palavras, quando est√° sozinho e consegue andar no seu tra√ßado ideal, ele vai bem. Quando est√° envolvido em disputas com outros pilotos, nitidamente seu rendimento cai…

A novidade: A MSMA ‚Äď associa√ß√£o dos fabricantes de motocicletas esportivas ‚Äď resolve a crise do Aero dividindo a classe de MotoGP em duas.

Ap√≥s as √ļltimas tr√™s semanas terem sido pol√™micas em rela√ß√£o aos ap√™ndices aerodin√Ęmicos, foi alcan√ßado um compromisso entre os fabricantes envolvidos no MotoGP. Em uma reuni√£o da MSMA em Termas De Rio Hondo, na Argentina, no domingo, os seis fabricantes concordaram com um novo formato para o MotoGP, que permitiria tanto aos oponentes quanto aos defensores da aerodin√Ęmica conseguir o que eles querem da s√©rie.

A proposta, que ainda est√° para ser colocada na Comiss√£o do Grande Pr√™mio, veria o campeonato de MotoGP dividido em dois, a classe a correr duas vezes, com e sem carenagem aerodin√Ęmica. A partir do pr√≥ximo ano, se a proposta for aprovada, o MotoGP vai receber duas corridas todos os domingos: uma para o Campeonato de MotoGP Aero e outra para o Campeonato Plain de MotoGP.

Crucialmente, as motos para ambos ser√£o id√™nticas. No in√≠cio da temporada, os fabricantes v√£o homologar suas motos e carenagens como antes, mas tamb√©m ter√£o que homologar duas carenagens diferentes: uma com anexos aerodin√Ęmicos e outra sem. Mas as regras da aerodin√Ęmica ser√£o muito mais livres, com o retorno de asas reais.

A Dorna √© amplamente defensora da proposta, pois v√™ uma oportunidade de expandir o p√ļblico para o MotoGP e uma melhor maneira de diferenciar os campeonatos de MotoGP e WorldSBK. Ao abrir o Campeonato de MotoGP Aero para o regresso das asas, as motos ser√£o muito menos parecidas com as motos de produ√ß√£o em que a s√©rie WorldSBK se baseia.

Enfim, estou um pouco c√©tico com rela√ß√£o a essa proposta…