Notícias pós corrida de Jerez

Comando na HRC

Shuhei Nakamoto era, desde 2009, vice-presidente da Honda Racing Corporation, mas, segundo a Speedweek, vai deixar o cargo ainda este ano.

A Honda tem como política rotatividade de pessoas nos altos quadros de comando de cinco em cinco anos, então Nakamoto já deveria ter saído em 2014. Os títulos de Marc Márquez em 2013 e 2014 podem ter feito com que o japonês ficasse mais dois anos.

Nakamoto sai da HRC
Nakamoto sai da HRC

Ao que tudo indica serão 3 os substitutos de Nakamoto:

Nesse cenário, avança o portal todo circuito, Takeo Yokoyama, antigo engenheiro de Dani Pedrosa e atual diretor técnico, passaria a ser o responsável pela área tecnológica da marca japonesa.

Livio Suppo, atual team manager da equipa Repsol Honda, ficaria responsável pela parte desportiva, relacionada com os contratos dos pilotos e dos patrocinadores.

Por último, Carlo Fiorani, antigo team manager nos tempos de Valentino Rossi, ficaria com a parte da comunicação e promoção desportiva.

Maverick Vinãles

Vinales Yamaha ou Suzuki
Vinales Yamaha ou Suzuki

Na próxima temporada é certo que Vinãles correrá em uma moto de fabrica azul e japonesa, mas o anuncio se será Suzuki ou Yamaha sairá em breve, o espanhol promete comunicar a sua decisão no próximo Grande Prêmio, em Le Mans.

A Suzuki merece uma resposta em breve. Esta semana vou tomar a minha decisão e em Le Mans vou comunicá-la. Davide Brivio pediu-me para lhe dizer em Le Mans e ele merece o meu respeito. Toda a gente vê que algumas motos estão na frente enquanto nós estamos ainda sofrendo. Tenho de pensar. É um período difícil. Tenho muita confiança na Suzuki, mas, por outro lado, quero ser campeão do mundo’,

Viñales já havia recebido uma proposta da Yamaha mas teria pedido mais dinheiro. Se sair da Suzuki, o espanhol poderá ser substituído por Andrea Iannone, piloto da Ducati, então o futuro de Iannone está nas mãos de Viñales, pois a Yamaha também está cotando como segunda opção caso o Espanhol decida continuar na Suzuki.

Testes Jerez

Marc testes Jerez
Marc testes Jerez

Depois da corrida de domingo, os pilotos de MotoGP ficaram em Jerez para um dia de testes.

Marc Márquez foi o piloto mais rápido em pista, com o tempo de 1m39s313. Este tempo dava ao piloto da Repsol Honda o quarto lugar na qualificação de sábado, concluindo foi mais lento nos testes que obteve o terceiro lugar.

O segundo melhor tempo deste dia de testes foi para Jorge Lorenzo, com 1m39s,332 e o terceiro para Maverick Viñales, com 1m39s536.

O vencedor da corrida de domingo, Valentino Rossi, foi o quarto, com 1m39s632.

Quanto ao número de voltas, Tito Rabat foi o piloto que deu mais (94), seguido de Márquez e Viñales, ambos com 91.

O piloto que deu menos voltas foi Andrea Dovizioso (50)

MotoGP té da asas

Ducati Asas
Ducati Asas

O uso das asas aerodinâmicas continua gerando muita discussão, agora com uma “vitima” delas a defende-las, Marc Márquez que já foi tocado por Iannone disse que não vê perigo no artefato, agora que é também usuário das asas declarou:

–Estamos satisfeitos com o teste porque testamos muitas coisas. Não apenas as asas e um novo braço oscilante como demos muitas voltas para tentar perceber e excluir determinadas afinações. A parte mais visível para as pessoas foi testarmos três asas diferentes. O lado aerodinâmico das coisas tem muito potencial por descobrir. Agora que esta opção existe, podemos trabalhar nela porque parece não haver limites ao que se pode fazer.

A maior defensora das asas continua sendo a Ducati, que rebateu o argumento que seria inseguro, eles afirmaram que as asas já sofreram choques ao longo das primeiras corridas e se romperam sem nenhum risco, e que levantar a roda traseira da moto sem controle traria mais insegurança do que as asas.

Davide Tardozzi disse:

É uma pena que não haja provas do seu alegado perigo. O único exemplo usado para mostrar o alegado risco é o contacto entre Iannone e Márquez no Qatar, e que resultou na quebra da câmera de vídeo. Por isso acho que não querem dar importância ao facto de a asa ter caído logo e que o Márquez nem se tenha apercebido do contacto ou mesmo o facto de que aquilo podia ter acontecido com qualquer outra parte da carenagem.

Lorenzo e Ducati

Lorenzo foi questionado sobre o que achou da baixa performance da Ducati em Jerez, ele afirmou que todos exceto Rossi tiveram problemas com os pneus, e que a Michelin tem que trabalhar na resolução desses problemas, segundo ele ainda tem 8 meses para avaliar o potencial da Ducati e Jerez não o preocupou.