KTM RC16 no caminho do sucesso da MotoGP.

KTM RC16

KTM RC16 no caminho do sucesso da MotoGP.

Qualquer um que suspeitasse que a MotoGP era um grande demais para uma equipe especialista no mundo Off-Road enganou-se. Pol Espargar√≥ na RC16 est√° em 13¬ļ lugar no classifica√ß√£o da MotoGP ap√≥s cinco corridas nesta temporada. Nunca antes um piloto de f√°brica da Red Bull KTM foi t√£o bem colocado na categoria rainha.

No Qatar 2018, Pol Espargar√≥ abandonou a corrida ap√≥s um misterioso defeito eletr√īnico, desde ent√£o ele come√ßou a progredir em 2018, tr√™s d√©cimos primeiras coloca√ß√Ķes e um 13¬ļ lugar (Austin). Mika Kallio terminou em 10¬ļ em Jerez; Bradley Smith terminou em 13¬ļ em Jerez e 14¬ļ em Le Mans.

Em Mugello, um pequeno aniversário acontece. O GP de Itália será a 25ª vez que a equipe alinha no gride desde a estreia de Mika Kallio em Valência 2016.

Pit Beirer, Diretor de Motorsport da KTM, comentou no GP do Texas: “Testamos muito material novo nas primeiras corridas de 2018 nos fins de semana do GP. Testamos pe√ßas na pista de corrida que teriam feito parte da equipe no primeiro teste do ano. Muitas vezes n√£o temos esse tempo. Agora temos que trazer essas atualiza√ß√Ķes com mais calma; Teremos que prestar aten√ß√£o nisso mais e mais no futuro. Porque n√£o √© t√£o f√°cil ao nosso n√≠vel melhorar.”

Enquanto Pol Espargar√≥ falava do quinto lugar e depois do sexto lugar nos testes de inverno, e o que ele pretendia em 2018, as inten√ß√Ķes semelhantes do CEO Stefan Pierer e do gerente da equipe da Red Bull, Mike Leitner, permaneceram pragm√°ticas: “Nono n√≥s fomos duas vezes. Agora temos que ir melhorando passo a passo”, foi seu lema s√≥brio antes do in√≠cio da temporada.

Nas primeiras tr√™s corridas a KTM teve que se dar conta: Nesta cena n√£o h√° a certeza de que voc√™ come√ßar√° da mesma forma que terminou a √ļltima temporada.

Por enquanto Pol Espargaró foi ao teste de Sepang no final de janeiro, depois de um dia e meio com 0,479 segundos atrás ficando em uma quarta posição grandiosa na tabela de tempos, mas depois ele caiu pesadamente, o programa de teste sofreu, o piloto da KTM acabou sofrendo por conta de um acidente e teve que se afastar dos testes.

Jack Miller é muito mais forte do que em 2017, Suzuki tornou-se novamente competitiva (três pódios em cinco corridas), Yamaha e Honda têm três pilotos fortes, Ducati também, a competição no topo é extremamente equilibrada.

“H√° frases antigas quando digo: Trabalhamos no MotoGP como novatos em toda a competi√ß√£o, uma diferen√ßa de 15 anos, porque os advers√°rios s√£o todos desde 2002 ou 2003 aqui. E voc√™ recebe um novo backlog todos os dias. Ent√£o temos que nos desenvolver muito mais r√°pido que todos os competidores, se quisermos diminuir a vantagem dos advers√°rios”, enfatiza Pit Beirer. “Porque nenhum fabricante faz uma paralisa√ß√£o t√©cnica aqui. Embora existam sempre os mesmos pilotos e as mesmas equipes, mas, na realidade, todos s√£o constantemente mais r√°pidos a cada dia. E devemos tamb√©m levar em conta esse desenvolvimento entre os advers√°rios. Essa √© a dureza desta classe de MotoGP. Mas isso n√£o √© motivo para reclamar. Ficou claro para n√≥s desde o in√≠cio que era assim”.

A Red Bull KTM assinou com a dupla de pilotos Johann Zarco / Pol Espargaró para 2019. A nova equipa de clientes, Tech3, será conduzida por Miguel Oliveira e o segundo lugar ainda está disponível.

A KTM superou todas as expectativas em 2017. “No primeiro ano, j√° alcan√ßamos os resultados que eu esperava na segunda metade da temporada em 2018”, admitiu Stefan Pierer, CEO do KTM Group, em novembro.

Devido ao progresso surpreendentemente forte de 2017, as etapas de desenvolvimento est√£o agora diminuindo. O novo motor V4 de 1000 cc com o virabrequim girando em sentido anti-hor√°rio prova seu valor. Os primeiros problemas iniciais nesta vers√£o do motor foram eliminados pelo designer de motores Ing. Kurt Trieb antes do GP de Jerez.

Pit Beirer: “No ano passado, n√£o fizemos segredo do fato de que tudo correu muito bem, melhor que o esperado. Agora estamos de volta √† realidade. Ent√£o isso n√£o √© uma grande surpresa. Mas temos um plano muito intenso que nos ajudar√° a realmente mostrar nosso potencial no terceiro ano de 2019. Ainda h√° muito trabalho no segundo ano de MotoGP porque agora podemos decidir se vamos tirar o m√°ximo partido do fim-de-semana de corrida ou se podemos tentar coisas que nos ajudar√° em 2019. No Grande Pr√™mio, temos que trabalhar coisas que nossos concorrentes n√£o fazem este ano. Mas n√≥s estamos fazendo isso para ser realmente limpos no terceiro ano, seja qual for o nosso objetivo.”

“No terceiro ano, queremos lutar por p√≥dios”, previu Stefan Pierer para iniciar o projeto de MotoGP. “N√£o estamos aqui por causa da ideia ol√≠mpica”.

Apesar dos compromissos terem sido feitos na classe de MotoGP este ano para serem melhores em 2019: a KTM (236.000 motos foram vendidas em 2017) está a obtendo um sucesso considerável em todas as disciplinas. No Campeonato do Mundo de Moto3, Jerez e Le Mans celebraram pódios. Miguel Oliveira está em segundo lugar no Campeonato do Mundo de Moto2.

A equipe também está funcionando perfeitamente no mundo offroad. Em janeiro, o Rally Dakar foi conquistado pela 17ª vez consecutiva.

E na América, onde a KTM nunca ganhou um título na categoria Supercross de 450 cc até 2014, os Austríacos estão invictos desde 2015.

2015: Ryan Dungey (KTM)
2016: Ryan Dungey (KTM)
2017: Ryan Dungey (KTM)
2018: Jason Anderson (Husqvarna)

Ali√°s, no Campeonato Supercross de 450 cc dos EUA, Jason Anderson venceu a KTM na frente do franc√™s Marvin Musquin em 2018. “Fomos vencidos pela primeira vez este ano depois de tr√™s anos”, sorri Beirer. “Mas da nossa segunda marca. Isso √© f√°cil de suportar”.

A Red Bull KTM também domina o tradicional motocross europeu como nunca antes: No Campeonato Mundial do MXGP, Tony Cairoli e o líder do Campeonato Mundial, Jeff Herlings, ganham o título. No Campeonato do Mundo MX2, os dois pilotos da KTM lideram, Pauls Jonass (351 pontos) e Jorge Prado (329 pontos).

A KTM já ganhou 288 títulos em campeonatos no mundo (137 dos quais são títulos de campeão de construtores), o primeiro em 1974 com o russo Gennady Moiseyev no Campeonato do Mundo de 250cc em Wohlen / Suíça.

Hoje, a equipe da fábrica da KTM é formada por 79 motoristas Рe em todas as categorias, contam com cerca de 500 membros da equipe.

Matéria originalmente traduzido do  site:

http://www.speedweek.com/motogp/news/127372/Pit-Beirer-(KTM)-Wieder-in-der-Realitaet-unterwegs.html

Leia também, Pit Beirer fala sobre Zarco, não podemos destruir sua carreira:

https://maniamoto.com/pit-beirer-fala-a-respeito-de-zarco-nao-podemos-destruir-sua-carreira/