Por precisar de uma frente estável, o estilo de Jorge Lorenzo está ultrapassado?

Conheça os seus pontos fortes e ajuste o chassis e outros elementos da moto em conformidade” (Kenny Roberts).

O que torna um piloto de MotoGP campeão? Segundo Freddie Spencer – tricampeão mundial – é a capacidade de se adaptar às situações. “Muitas vezes acontece de a pista estar completamente diferente na corrida em relação aos treinos, e o piloto tem que se adaptar. Os melhores pilotam bem em todas as pistas e também são inteligentes nas estratégias. Os grandes pilotos sabem, com talento e inteligência, o que precisam fazer e o que a motocicleta precisa para andar bem.”

Marc Márquez é um exemplo. Mas o que torna Márquez tão singular? Ele tem todos os tipos de qualidades – não tem pontos fracos aparentemente –, mas o mais notável é sua capacidade de controlar os deslizamentos dos pneus dianteiros, para que ele possa manter sua dianteira deslizando nas curvas, quando os outros pilotos já deslizaram pelo asfalto com a traseira. Se ele tem um segredo vencedor, é isso.

Márquez é único nesse aspecto. Ele possui uma combinação de talento, reações e determinação que ninguém consegue igualar, escreve Mat Oxley. E Quartararo? Só na sexta-feira, o jovem francês perdeu a frente inúmeras vezes e nunca recuou para tentar outras vezes porque toda vez que você perde a frente e não bate, aprende algo, afirmou ele.

“A Honda e a Yamaha se comportam de maneira diferente”, acrescentou Zeelenberg, chefe da equipe de FabioQ20. “A Honda perde a frente de uma maneira diferente da Yamaha. Normalmente com a Yamaha não conseguimos salvar os slides da dianteira. Talvez a Honda tenha o mesmo problema, exceto com Marc. Fabio não usa os cotovelos como Marc, mas sente o deslize muito, muito cedo, então é tempo de reação e controle. Ele deixa a moto subir talvez meio grau e depois pode salvá-la. Parece que ele está no mesmo nível que Marc.”

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é fabiooooorrr-1024x825.jpg

Muitos comparam a técnica de Quartararo com a de Jorge Lorenzo. Contudo, Zeelenberg acredita que Fabio confia muito na dianteira, mais do que os outros pilotos da Yamaha. Isso faz a diferença no momento, porque ele pode rodar a moto melhor do que as outros com a mesma configuração.

A vantagem de Quartararo sobre Lorenzo é que ele ainda pode andar rápido quando não há aderência, como em Misano FP3, quando o jovem parecia estar andando fora de controle porque estava experimentando a aderência.

“Essa é a diferença entre Fabio e Jorge: basicamente Fabio não se importa. Às vezes, ele força a moto como Marc para encontrar o limite e ele controla isso sem reclamar.

Isso significa que o estilo de Lorenzo está ultrapassado para o MotoGP?
A falta de memória dos fãs e de alguns jornalistas, e o fato que hoje todo piloto vale o resultado da sua última corrida, é muito injusto. Vivemos em um mundo de consumo rápido, tudo está se acelerando … No caso de Jorge Lorenzo , ele está nadando numa corrente negativa há meses. É comum encontramos comentários como “o sempre opaco Jorge Lorenzo”.

E se hoje ele decidisse “pendurar o macacão”, como alguns especulam após ele declarar que “tudo é possível”?

Jorge Lorenzo tem apenas oito pilotos à frente com mais títulos na categoria rainha . Três títulos mundiais, como Wayne Rainey e Kenny Roberts , que também os conquistaram com a Yamaha. Quanto às vitórias, acumula 68 no Grande Prêmio e é o sexto da história depois de Agostini, Rossi, Nieto, Márquez e Hailwood . Além disso, dessas vitórias, 47 foram no MotoGP, sendo o quinto atrás de Rossi, Agostini, Doohan e Márquez.

Sua perseverança entre os melhores o fez conseguir muitos pódios. No MotoGP, ele é o segundo piloto da história, depois de Valentino Rossi, com mais visitas ao pódio. Ele também é o segundo piloto com mais bastões de Grande Prêmio, atrás de Marc Márquez. Em voltas rápidas, é o 7º melhor do MotoGP. Como vocês leitores do blog Maniamoto podem ver, ele está nos registros sempre no TOP 10 e, em alguns casos, nos cinco primeiros.

Puig: “Há esperança que Lorenzo possa sentir-se forte no MotorLand”

Jorge Lorenzo estava sereno após o Grande Prêmio de San Marino. Ele terminou em 14º, alcançando dois pontos, mas apenas subiu de posição graças a incidentes de outros concorrentes.

O espanhol ficou satisfeito, devido à sua longa convalescença pelas duas vértebras fraturadas em Assen. “Demos um passo adiante, terminando 10 segundos mais perto do que em Silverstone, embora esperava um resultado melhor. A moto parou menos do que nos treinos. Talvez a combinação de borracha macia e macia não tenha sido a melhor. Eu esperava estar a um ritmo de 1,5 segundos do vencedor e fui para 1,7. Mudamos as coisas da moto no ‘warm up’ para torná-la mais estável e não correu bem, não me senti confortável desde a primeira volta. Eu tinha menos aderência, tive que travar muito mais cedo “, disse ele.

Albert Puig:” Foi um passo para Jorge e agora, indo para Aragão – um circuito que ele gosta – esperamos que a progressão continue e possa continuar a evoluir.”

Como Jorge Lorenzo poderá evoluir se ele precisa de uma frente estável – que a Honda não tem – para poder andar bem?  Márquez subiu o sarrafo do MotoGP, e Quartararo parece ser o único piloto que consegue acompanhá-lo. A única forma de Lorenzo voltar a ganhar corridas é fazer o que Quartararo está fazendo. Explorar os limites da sua moto sem medo, e aprender com isso.

Ele foi campeão do MotoGP  em 2015, já na era Márquez, quando a Honda errou em seu projeto. Na Ducati, ele mostrou que consegue vencer com uma moto difícil no meio das curvas e veloz nas retas, quando mostrou que sabe usar os freios na entrada de curva. Agora na Honda ele terá que achar uma maneira de fazer a moto trabalhar para ele. Todos nos torcemos para que consiga porque é para nós muito difícil ver um campeão de MotoGP por sua qualidade sofrer assim…