Primeiro teste Tailândia Crutchlow em Primeiro Rins em Segundo

Um pouco mais de 4 e meio de quilômetros, 2 curvas para esquerda e 5 para direita, uma reta de 1 quilômetro e outra, um pouco mais curta: esta é a descrição do Chang Circuito Internacional, onde os pilotos de MotoGP deram algumas voltas pela primeira, A primeira boa notícia é que o asfalto estava em boas condições e que nunca não é comum em pistas pouco utilizadas.

Esta é uma boa notícia para os pneus, que não foram destruídas por uma superfície suja. Falando em pneus, na Tailândia, a Michelin levou 4 diferentes opções para a dianteira (todas as simétricas) e varias opções para traseira (todos os assimétrico). Os compostos foram uma seleção dos que os usados em Brno, e Termas de Rio Hondo, em Sachsenring e Sepang, além de mudanças que já haviam sido tomadas para os testes na Malásia.

Os tempos foram muito apertados, considerando o fato de que há 12 pilotos embalados no mesmo segundo. O nome no topo da lista está a Cal Crutchlow, que fez um tempo de 1’30″797 no Ăşltimo minuto. Seu tempo foi de 2 segundos mais rápido que a Rea da pole position na SBK (1’32″957).

Se Cal excelente resultado frente de todos os pilotos de fábrica foi um pouco inesperado, mais mesmo assim foi o segundo lugar e o tempo feito por Alex Rins, montado em sua Suzuki. O Espanhol, que já estava muito à vontade, em Sepang, na GSX-RR, parou o relógio apenas 15 milésimos de segundo atrás do Britânico.

Logo atras “estranho casal”, foram os dois pilotos com as mais altas expectativas – Marquez e Dovizioso – que ficou muito perto um do outro, como eles tinham em Sepang e que, ao contrário dos outros, nĂŁo aproveitaram as Ăşltimas horas da tarde para fazer um tempo de ataque. Em qualquer caso, Marc foi apenas 0″115 atrás de seu companheiro de Honda e Dovi foi de 33 milĂ©simos atrás, com Pedrosa a suspirando no seu pescoço (em 15 milĂ©simos). Andrea testou uma nova carenagem que a Ducati trouxe no final do dia.

As vermelhas brilharam não só com Dovizioso, mas também com Petrucci (no GP18) e Miller (no GP17). Os dois Pramac pilotos, terminou o dia em 6º e 7º lugar, com uma diferença de apenas dois décimos de segundo. Menos positivo, pelo menos na parte da manhã, foi Lorenzo dia, com o piloto a conseguir subir na classificação, somente no final do dia, terminando na 10ª posição.

Frente de Maiorca foram Andrea Iannone e Valentino Rossi, que foi o melhor piloto da Yamaha para o seu aniversário com o 8º lugar com o tempo. Viñales foi de 3 posições mais volta, mas apenas um décimo atrás do Médico, enquanto que Zarco foi o 12º. O Francês decidiu continuar a utilizar o quadro de 2016, descartando a 2017, mas com um novo motor.

Continuando no ranking, atrás de Rabat e Bautista encontramos os dois Aprilia máquinas em 15Âş e 16Âş lugar, Ă  frente de Nakagami, o melhor estreante na pista hoje. O piloto JaponĂŞs foi 0″895 do lĂ­der, enquanto Morbidelli foi 0″932 atrás e em 19Âş lugar. Fechando o campeonato foi logicamente Syarhrin em sua primeira vez em uma moto de MotoGP. Considerando o fato de que tudo isso Ă© novo para o Ringgit, ele cortou um boa figura com uma abertura de 2″368.

Notáveis durante o dia foram falhas Crutchlow, Bautista e o Pedrosa, na última volta, uma íngreme e traiçoeira primeira curva. No turno 7, por outro lado, Xavier Simeon acabou na brita, sem consequências físicas para ele.

 

 

a Matéria Traduzida para ver o original /a>