Suzuki: Equipe Satélite, Rins quase certo, Lorenzo com apoio da Monster Energy.

alex rins and jorge lorenzo

O teste de Mugello continua inabal√°vel para a equipe Suzuki, que nessa temporada se beneficia de um n√ļmero ilimitado de dias de testes, gra√ßas as vantagens oferecidas pelo regulamento.¬†A casa de Hamamatsu √© uma verdadeira obra em progresso, tanto na pista quanto nos bastidores, de um lado Alex Rins parece pr√≥ximo da confirma√ß√£o,¬†Davide Brivio confirmou: “Rins¬†quer ficar com a gente.”, talvez a assinatura seja apenas uma quest√£o de tempo.¬†“Estamos esperando os documentos vindo do Jap√£o, tudo est√° claro e estou contente porque sei que vou pilotar para a Suzuki no pr√≥ximo ano”, confirmou o piloto espanhol. Talvez n√£o podemos dizer o mesmo para Iannone, que provavelmente tem dispon√≠vel algumas alternativas tentadoras,¬†incluindo entre elas um retorno ao mundo vermelho da Ducati.

No teste de Mugello a equipe resolver trazer seu piloto de testes Silvayn Guintoli, que irá retornar para a pista em Le Mans como wild-card. Na equipe liderada por Davide Brivio um novo motor cujo o uso em corridas não é esperado no curto prazo, mas que poderia ser adotado no decorrer da temporada já que a Suzuki não sofre com o congelamento do motor, em virtude de não ter ido ao pódio em 2017. A fábrica de Hamamatsu está trabalhando para continuar o desenvolvimento da GSX-RR que já está colhendo seus frutos após os três pódios consecutivos mesmo estando consciente de estar a um passo de perder os privilégios na temporada de 2019.

Suzuki trabalha nos bastidores para adicionar uma pe√ßa muito importante do quebra-cabe√ßa para dar outro grande passo.¬†A pe√ßa que falta √© chamada de Marc VDS: a negocia√ß√£o com Michael Bartholemy parece ter sofrido um rev√©s, o an√ļncio da parceria oficial era esperado para Aragon, mas as duas partes resolveram dar umtempo, provavelmente por conta da sa√ļde prec√°ria de Gin Shinichi Sahara que permaneceu no Jap√£o, ou tamb√©m pelo fato de que Marc van der Straten acabou afastando o pr√≥prio Bartholemy do comando da equipe, algumas informa√ß√Ķes d√£o conta que o gerente afastado deixou as finan√ßas da equipe em p√©ssimo estado, despertando assim a f√ļria do Cervejeiro.¬†A equipe belga tamb√©m √© cortejada pela Yamaha, mas f√°brica de Iwata n√£o seria capaz de atender todos os pedidos almejados pela equipe atualmente, que no caso seria duas motos oficiais. Tudo agora s√≥ depende da Suzuki e seu poder financeiro.

Lorenzo com apoio da Monster –¬†at√© algumas semanas atr√°s Lorenzo parecia longe da Suzuki por raz√Ķes financeiras, agora novos cen√°rios de mercado est√£o surgindo.¬†A gigante de bebidas energ√©ticas Monster Energy a partir de 2019 vai perder a sua alian√ßa com a Tech3 Racing, a equipe com a qual √© parceira na MotoGP desde 2009. A parceria comercial foi encerrada porque Poncharal escolheu seguir novos rumos com um apoio da KTM, que de brinde vem a gigante Red Bull, concorrente direta da Monster no mercado de energ√©ticos.¬†A monster continuar√° presente em 2019 no equipamento de v√°rios pilotos e nos capacetes de Valentino Rossi e Maverick Vi√Īales,¬†mas mesmo assim eles est√£o cientes da perda de visibilidade que sua marca sofrer√°.¬†Da√≠ a hip√≥tese de uma alian√ßa entre Monster e Suzuki que poderia trazer vida √† casa de Hamamatsu, de modo a permitir concentrar-se em Jorge Lorenzo para ser companheiro de equipe do jovem compatriota Alex Rins.