Testes PrĂ© temporada 2017 – Philip Island

Está chegando o grande dia para inicio da temporada de MotoGP 2017, enquanto isso vamos matando saudades com os testes pré temporada dessa vez na fantástica e atípica pista de Phillip Island na Austrália.

Honda

Começando falando sobre a grande poderosa Honda que iam decidir nos testes se iriam de Screamer ou Big Bang, seja qual for a escolha ainda não divulgado parece que acertaram, Honda fez grandes progressos em relação aos testes de Sepang, Marquez e Pedrosa figuraram durante os 3 dias entre os 3 melhores tempos e Crutchlow cravou o quinto melhor tempo.

KTM

Nem Jorge Lorenzo na Ducati, nem Viñales na Yamaha nem as asas integradas na carenagem, a grande novidade para o MotoGP em 2017 é a presença da KTM na classe rainha, a marca Austríaca apresentou suas maquinas durante a semana dos testes, com lindos grafismos que impressionaram a todos, ainda falando da KTM Stefan Pierer, gerente esportivo da KTM no MotoGP criou polemica ao afirmar que seu maior prazer é ganhar da Honda:

A Honda está sempre a tentar fazer esquemas para se esquivar aos regulamentos. Vejam o que passou no Dakar dois meses atrás. É sempre a mesma coisa, e fazem o mesmo em Moto3. Não sei porque o fazem porque não precisam de o fazer. Esse é o motivo pelo qual gostamos de ganhar à Honda.

Pra concluir disse que a KTM estará aberta para equipes satélites para 2018.

Suzuki

Andrea Iannone foi batido pela primeira vez pelo colega de equipe, Alex Rins, fechou os testes em Phillip Island no 13.Âş lugar.

Percebemos cada vez mais a direção que temos de seguir. Juntei as informações recolhidas nestes três dias e o resultado não foi mau. A minha posição final não é a que queria, mas vendo bem as coisas, fizemos um grande trabalho.

explicou Iannone no final dos testes.

Já Rins estava bem contente, além de bater o colega Iannone, o espanhol da Suzuki ficou à frente de nomes como Dovizioso, Lorenzo e Rossi.

Declarou Rins:

A verdade é que estou muito satisfeito com estes três dias de testes. Fora a volta mais veloz, o mais importante foi o nosso progresso durante as sessões, que foi consistente e significativo. Conseguimos tirar mais de 2.3 segundos ao tempo do primeiro dia. Entendemos melhor a máquina e afinamos muitas coisas. Trabalhamos intensamente e no final fomos recompensados. Ainda temos de melhorar em vários aspectos, tanto na moto como na minha pilotagem, mas temos ideias cada vez mais claras a cada sessão. Estou confiante de que podemos melhorar.

Ducati

Os pilotos da Ducati não fizeram grandes progressos na Austrália, a pista segundo Dovizioso realça os pontos fracos da moto e não faz diferença os pontos fortes, Dovizioso e Lorenzo terminaram na tabela combinada de tempos em 7 e 8 respectivamente, 1 decimo de diferença entre eles.

Sobre a carenagem que ainda gera grandes reclamações do fabricante Italiano foi questionado se teria alguma solução parecida com a da Yamaha.

Paolo Ciabatti diretor desportivo da Ducati respondeu:

Não temos. As nossas motos têm a mesma carenagem do ano passado. De momento não temos planos mas essa pode ser uma das soluções, Podemos homologar apenas duas por piloto por época. A que usamos atualmente está homologada. Antes de se homologar uma segunda há que assegurar que ela tenha uma vantagem porque senão gasta-se a única outra opção.

Yamaha

Novamente a estrela de Viñales brilhou e ele foi o mais rápido em 2 dos 3 dias de testes e o melhor tempo dos combinados, Rossi conseguiu apenas o decimo segundo lugar e não ficou satisfeito com os testes.

Hoje trabalhamos muito no ritmo para a segunda metade da corrida porque tivemos dificuldades com isso no ano passado. Experimentamos algo muito diferente mas acabamos por não melhorar muito, então teremos que experimentar outras coisas

Acho que a moto tem bons aspectos, especialmente o motor, mas Ă© certo que este teste foi mais difĂ­cil para mim do que o de Sepang. NĂŁo estou muito satisfeito e precisamos fazer melhor.

 



Resultados Combinados dos testes

1. Maverick VIÑALES, Movistar Yamaha MotoGP – 1:28.549 – Session 3
2. Marc MARQUEZ, Repsol Honda Team – 1:28.843 +0.294 – Session 3
3. Dani PEDROSA, Repsol Honda Team – 1:29.033 +0.484 – Session 3
4. Jonas FOLGER, Monster Yamaha Tech 3 – 1:29.042 +0.493 – Session 3
5. Cal CRUTCHLOW, LCR Honda – 1:29.101 +0.552 – Session 3
6. Alex RINS, Team SUZUKI ECSTAR – 1:29.103 +0.554 – Session 3
7. Andrea DOVIZIOSO, Ducati Team – 1:29.248 +0.699 – Session 3
8. Jorge LORENZO, Ducati Team – 1:29.342 +0.793 – Session 3
9. Jack MILLER Marc, VDS Racing Team – 1:29.358 +0.809 – Session 3
10. Aleix ESPARGARO, Aprilia Team Gresini – 1:29.361 +0.812 – Session 3
11. Alvaro BAUTISTA, Pull&Bear Aspar Team – 1:29.411 +0.862 – Session 2
12. Valentino ROSSI, Movistar Yamaha MotoGP – 1:29.470 +0.921 – Session 3
13. Andrea IANNONE, Team SUZUKI ECSTAR – 1:29.547 +0.998 – Session 3
14. Danilo PETRUCCI, Octo Pramac Racing – 1:29.615 +1.066 – Session 3
15. Johann ZARCO, Monster Yamaha Tech 3 – 1:29.670 +1.121 – Session 3
16. Hector BARBERA, Reale Esponsorama Racing – 1:29.791 +1.242 – Session 3
17. Pol ESPARGARO, Red Bull KTM Factory Racing – 1:29.857 +1.308 – Session 3
18. Loris BAZ, Reale Esponsorama Racing – 1:29.977 +1.428 – Session 3
19. Bradley SMITH, Red Bull KTM Factory Racing – 1:29.978 +1.429 – Session 3
20. Scott REDDING, Octo Pramac Racing – 1:30.005 +1.456 – Session 3
21. Karel ABRAHAM, Pull&Bear Aspar Team – 1:30.142 +1.593 – Session 2
22. Sam LOWES, Aprilia Racing Team Gresini – 1:30.200 +1.651 – Session 3

Empresario, pai e entusiasta do mundo das duas rodas, criou o blog Maniamoto em 2015 com a intenção te ter um espaço democrático e livre onde todos possam expor suas opiniões e trocar ideias sobre o assunto Motovelocidade.